Conteúdo útil: o que é e por que sua empresa precisa?

Saiba mais sobre o conteúdo útil, como ele pode ser implementado e entenda a sua importância!

Última atualização:

26 de setembro de 2023

Flávia Crizanto
Últimos posts por Flávia Crizanto (exibir todos)

Índice

    Flávia Crizanto
    Últimos posts por Flávia Crizanto (exibir todos)

    Se você trabalha com marketing ou possui um site na internet, certamente já tentou produzir um conteúdo relevante para o seu público. Afinal, sabemos que, além de ter um site otimizado com as técnicas de SEO, também precisamos fornecer conteúdos informativos e úteis para os usuários.

    Mas como produzir conteúdos assim? Essa talvez seja uma pergunta frequente para muitos profissionais da área do marketing, que pode ser respondida se prestarmos atenção nos parâmetros utilizados pelo Google para categorizar um conteúdo útil.

    Esse foi, inclusive, o tema de uma live no Instagram da Experta que reuniu sua fundadora Flávia Crizanto e o seu gerente de conteúdo Clecius Campos. De forma prática e descontraída, os dois profissionais falaram um pouco sobre o que é um conteúdo útil e deram dicas de como produzi-lo. 

    Ficou curioso para saber mais? Então, continue a leitura, pois neste artigo iremos explicar como fazer conteúdos assim e também te mostrar como eles podem ser importantes para a sua empresa. 

    O que é conteúdo útil?

    Antes de mais nada, é preciso entender o que de fato é um conteúdo útil. Segundo o Google, esse tipo de conteúdo é informativo e fornece aos usuários todas as informações que eles estão procurando. Dessa forma, podemos considerar como útil todo material na internet que dá soluções e sana as dúvidas dos leitores.

    Esse conceito surgiu de uma atualização do Google em 2022, chamada Google’s Helpful Content Update, que em tradução livre significa “Atualização de Conteúdo Útil do Google”. A partir da implementação dessa atualização, houve uma mudança no algoritmo do buscador, que agora valoriza conteúdos que tenham como foco proporcionar experiências positivas ao usuário. 

    “Esse algoritmo tem uma tecnologia de inteligência artificial que procura entender se o conteúdo, sendo ele um texto, imagem, vídeo ou notícia, responde a uma pergunta ou intenção de busca do usuário, se ele cumpre o que ele promete e se está fornecendo informações verdadeiras e verificadas”, explica o gerente de conteúdo. 

    Para categorizar esse tipo de conteúdo, essa nova atualização dita algumas regras que precisam ser seguidas por quem visa estar por dentro das normas da plataforma. Ao todo, são sete dicas no total, mas a primeira e mais importante delas é o people first

    Esse conceito se baseia na ideia de que os conteúdos devem ser escritos de pessoas para pessoas, buscando minimizar a quantidade de materiais de baixa qualidade focados exclusivamente para ranquear bem no Google. 

    People first é isso, as pessoas em primeiro lugar. Então, o conteúdo útil é aquele que vai primeiro ser destinado ao interesse das pessoas. Você primeiro vai pensar em um conteúdo que responda uma pergunta, vai desenvolvê-lo e depois você vai aplicar técnicas de otimização, com as palavras-chave e com a arquitetura da informação”, aponta Clecius Campos. 

    Se esse e todos os outros aspectos citados abaixo forem respeitados, esse material será classificado como útil e terá um destaque maior nas buscas da plataforma. 

    Faça um conteúdo especializado

    Produzir um conteúdo especializado é uma das dicas dadas pelo Google. Para isso, a plataforma traz o seguinte questionamento: “O seu público-alvo consideraria o seu conteúdo útil se chegasse diretamente a ele?”

    Essa dica visa impedir o posicionamento de muitos criadores de conteúdo que produzem materiais com temáticas em alta, fora do próprio nicho, apenas para obter um ranqueamento na pesquisa. 

    Por exemplo, se o seu site fala sobre culinária e você enxerga a possibilidade de falar sobre moda, só porque o tema está em evidência, a nova atualização do Google irá te penalizar. Isso porque, apesar desse conteúdo ser rico em informações, é impossível que o público que visita o seu site em busca de materiais sobre culinária ache ele útil. 

    Lembre-se sempre: é preciso construir conteúdos que sejam relevantes para o seu usuário e não para seguir tendência ou ganhar tráfego. 

    Veja se seu conteúdo tem qualidade

    Além de reunir informações relevantes, um conteúdo útil também deve ter qualidade e demonstrar um conhecimento aprofundado naquele assunto. Nesse ponto, o Google lança o seguinte questionamento: “Seu conteúdo demonstra um conhecimento aprofundado sobre uma experiência vivida por você?”

    Esse requisito da plataforma é uma resposta aos artigos que apresentam indicações de produtos e serviços de forma genérica, sem o conhecimento do próprio escritor sobre aquele assunto. 

    A recomendação do Google é que os materiais tragam informações e experiências vividas pelo próprio escritor e não um aglomerado de informações de terceiros, feito só para seguir tendências.  

    “O Google dá muito valor para informação em primeira mão e dados inéditos, sejam eles um texto, um vídeo ou uma imagem criada recentemente”, afirma Clecius.

    Conteúdo útil: o que é e por que sua empresa precisa?
    Imagem: Freepik

    Ofereça experiência ao usuário

    A experiência do usuário é um ponto essencial para essa nova atualização do algoritmo. Para questionar os criadores de conteúdo, o Google lança a questão: “Alguém lendo o seu conteúdo terá a sensação de ter tido uma experiência satisfatória e positiva?”. 

    Aqui, voltamos para aquele ponto de que o conteúdo útil deve responder os questionamentos do usuário. Quando um material é bem elaborado, o leitor sai do site com todas as informações necessárias para sanar suas dúvidas, não necessitando de uma nova pesquisa. 

    “A experiência satisfatória apontada pelo Google não é aquela “Ah, que gostoso de ler!”. É a satisfação de estar satisfeito com o conteúdo e de não precisar buscar de novo a mesma palavra-chave para obter um resultado melhor”, explica o editor.

    Seu conteúdo precisa priorizar pessoas

    Lembra que anteriormente falamos sobre a importância do people first? Esse aspecto aparece em mais uma norma da plataforma, pois o conteúdo que prioriza pessoas precisa dar ao usuário a sensação de que ele aprendeu o suficiente sobre o tema. 

    Sendo assim, ao preparar um material visando atingir essas regras do Google, é importante se atentar se ele: 

    • Responde às perguntas do usuário;
    • Resolve as preocupações sobre o tema;
    • Sana dúvidas ou curiosidades. 

    Focando nisso, certamente seu conteúdo será útil e terá mais chance de ranquear. 

    Agora sim, pense no SEO

    Lendo este artigo, talvez você tenha se perguntado se o SEO não é mais um aspecto importante para o Google. Mas não se engane, ele continua sendo essencial. 

    “Não adianta só você fazer um conteúdo útil, se você não tiver técnicas de SEO. Não adianta só fazer o melhor conteúdo, se ele não for encontrado. O Google precisa, sim, achar o seu conteúdo, então, você necessita de técnicas de SEO”, explica Clecius. 

    O que acontece é que a plataforma pede que os criadores de conteúdo priorizem o usuário e depois se atentem às técnicas de otimização. 

    “Não adianta tentar enganar o Google, tem que ter esse equilíbrio entre o que realmente é necessário para o usuário e o SEO”, pontua Flávia Crizanto. 

    Além disso, também é importante pensar nas outras atualizações da plataforma, pois todas elas dão dicas essenciais para o sucesso de um conteúdo. Se você já está seguindo as diretrizes principais e de análises de produto da plataforma, provavelmente você terá bons resultados se produzir conteúdos úteis. 

    Veja os avaliadores de qualidade (E-E-A-T)

    O chamado EEAT é uma sigla para Experience, Expertise, Authoritativeness e Trust, que em português, pode ser traduzido como Experiência, Especialidade, Autoridade e Confiança.

    Esses termos são, atualmente, pilares que a plataforma considera para avaliar um conteúdo. Segundo o próprio buscador, o centro de todos eles é a confiança, pois se refere ao quanto o site possui informações verdadeiras e confiáveis, o que é construído por meio da experiência, especialidade e autoridade. 

    “O E-E-A-T tem a ver com a experiência que aquele conteúdo oferece e a expertise de quem escreve. Então, a gente começa a voltar para o lado humano de não só produzir aquele conteúdo em si. O Google também está olhando para quem está escrevendo aquele conteúdo. Para além da autoria, ele olha para a autoridade de quem está dizendo aquilo ali”, explica Flávia Crizanto.

    Conteúdo útil: o que é e por que sua empresa precisa?
    Imagem: Freepik

    Como medir os resultados?

    Produzir um conteúdo dentro de todas as normas do update do conteúdo útil, mas como saber se estou tendo resultados na plataforma? A forma mais eficaz de fazer isso é apostando nas métricas de SEO, em ferramentas como: 

    • Google Search Console;
    • AHrefs;
    • Semrush;
    • Ubersuggest.

    “A primeira métrica para saber se o seu conteúdo está bom é se o seu site está ganhando visita. Se o tráfego que vem do Google aumentou e se você está recebendo mais visitantes, quer dizer que você está indo no caminho certo em termos de otimização e de conteúdo útil”, afirma Clecius. 

    Métricas de tráfego e visitantes, por exemplo, podem ser obtidas no Search Console do próprio Google. Além disso, também é importante analisar outras métricas do SEO, como ganho de palavras-chave que mostram a autoridade do domínio e verificar os dados dos concorrentes, pois pode ajudar a guiar nesse trabalho. 

    Conteúdo útil de qualidade é na Experta

    Agora que você entendeu tudo a respeito da nova atualização de conteúdo útil do Google, resta aplicar os novos conhecimentos. Para isso, você pode contar com a ajuda da Experta! 

    Entre em contato conosco, temos um time composto por profissionais qualificados que escrevem conteúdos de qualidade e preparam seu site para performar bem nas plataformas de busca. 

    Esperamos por você!

    CONFIRA TAMBÉM