Category Link Building

Desde de março deste ano, estão valendo novos atributos para os links. Entenda como essa novidade do Google afeta a sua estratégia de link building.

Desde o dia 2 de março, o Google está considerando novos atributos nos links. Eles podem ser usados sozinhos ou em combinação. São eles: rel = "sponsored" e rel = "UGC". Além disso, o atributo rel = "nofollow", já existente,  passa a ser considerado pelo buscador para fins de classificação.

Uma das razões para mudança é o excesso de links nofollow em portais.

Está confuso sobre o que tudo isso significa? Continue lendo este artigo!

Falar de link building representa entender a função de um link e seus atributos em todo o sistema da internet, principalmente para os mecanismos de busca, como o Google.

Os mecanismos de busca facilitaram a nossa vida e permitiram que as informações fossem organizadas dentro de toda a internet para serem entregues aos usuários de acordo com a relevância, definida pelos algoritmos.

Desde então, ser visto, considerado e ranqueado nas primeiras páginas do Google passou a ser o desejo de todas as pessoas que querem ser encontradas pela Internet.

É aí que entram os links.

O processo de indexação de um site passa pela capacidade de os robôs do Google chegarem até uma página e reconhecê-la.  Os links têm um papel importante nessa tarefa e são uma das principais maneiras de o processo de indexação ocorrer.

De forma resumida: 

Quando um novo site é criado, um backlink vindo de um outro site -  já visitado pelos robôs do Google e indexado - é um dos primeiros sinais para que o Google também indexe este novo site.

A importancia dos links na indexação

Os backlinks são muito importantes para o ranqueamento. Com a evolução das estratégias de marketing digital, passou a ser necessário organizar as razões pelas quais um site envia um link para outro. E as razões podem ser muitas:

  • Parcerias
  • Publicidade em banner
  • Fóruns
  • Referência editorial
  • Comentário em blogs ou artigos
  • Spam
  • Acréscimo de informações

Em 2005, o Google criou o atributo nofollow para impedir que links de spam passassem autoridade e manipulassem os sinais de ranqueamento. Sim, durante muito tempo enviar centenas de links e consegui-los de qualquer maneira ajudava a alavancar melhores posições no buscador. 

O atributo nofollow é inserido no código html, conforme o exemplo abaixo:

<a href="http://www.example.com/" rel="nofollow">Link text</a>

Assim, a ideia era utilizá-lo em links que não gostaríamos que passassem autoridade para outro site. Ou seja, ao optarmos por essa alternativa, o Google simplesmente não seguia, rastreava e nem indexava o link. Não servia, portanto, como fator de classificação.

Vale aqui uma observação: dados experimentais e evidências sugerem que o Google há muito tempo considera os links nofollow como um potencial sinal de classificação. Mas a empresa nunca assumiu essa hipótese. 

O que muda com os novos atributos de link

 

ilustração de uma tela de computador com uma página de site aberta conectada a vários símbolos com elementos do universo digital
fonte: freepik.com

 

A primeira mudança é o fato de o Google passar a considerar os atributos nofollow,  o que significa que ele pode contar um link nofollow como crédito, considerá-lo parte da análise de spam ou para outros fins de classificação.

Há benefício ou não em marcar todos os links como nofollow? Entenda mais neste artigo:

https://www.expertamedia.com.br/beneficio-marcar-todos-os-links-como-nofollow/

Benefícios para os assessores de imprensa

ilustração de um escritório com pessoas trabalhando
fonte: freepik.com

De maneira geral, o trabalho de uma assessoria de imprensa digital pode beneficiar o ranqueamento no Google. Veja mais aqui:

https://www.expertamedia.com.br/assessoria-de-imprensa-digital-ranqueamento-no-google/

Na prática, o fato de grandes portais de notícias adotarem o atributo nofollow na maior parte dos seus conteúdos pode ser uma das razões pelas quais a mudança foi implementada. 

Essa prática fez com que grandes quantidades de links fossem desperdiçadas pelo o Google. Para os criadores de conteúdos e assessores de imprensa essa é uma boa notícia, já que existe uma possibilidade de consideração do link para classificação. 

Ou seja:

  • Em alguns casos, os links dofollow podem ser usados ​​para rastreamento e indexação
  • Em alguns casos, os links dofollow  podem ser usados ​​para classificar

Para conteúdos patrocinados e criados pelos usuários, o Google inseriu os outros dois atributos.

  • rel="sponsored": Esse atributo pode ser usado para identificar links em seu site que fazem parte de um anúncio, patrocínio ou outro contrato pago.
  • rel="ugc": Esse atributo é recomendado para links que aparecem no conteúdo gerado pelo usuário, como comentários e postagens no fórum.

Gary Illyes, do Google, e Danny Sullivan, coautores da mudança - que foi anunciada em setembro de 2019 -  disseram que os novos atributos servem para ajudar o Google a entender melhor a web e permitir que os proprietários dos sites classifiquem a natureza de seus links, se quiserem.

O mecanismo de busca reforçou ainda que a implementação dos atributos UGC e sponsored é voluntária. Caso não seja feito, não há nenhum problema. Agora, para quem estava usando o “nofollow” para bloquear áreas sensíveis de um site, a partir de agora, é recomendado que se faça de maneiras diferentes, usando metatags ou o robots.txt.

De acordo com o anúncio do Google, a orientação é de que não há necessidade de alterar os links nofollow que você já possui em seu site.

Como ficam os trabalhos de link building com essas alterações?

 

ilustração de laptop conectando a 3 páginas suspensas
fonte: freepik.com

Especialistas de todo o mundo são categóricos em afirmar que não haverá grandes mudanças e impactos para os profissionais de link building e assessoria de imprensa digital.

O importante é ter em mente que links dofollow continuam sendo importantes.

Além disso, para trabalhos de backlinks executados previamente, o Google não exige que sejam feitas alterações. A partir de agora, é necessário, porém, atenção ao desenrolar dos resultados que virão a partir da mudança.

O uso desses novos atributos de links pelo Google poderá evoluir, e será interessante entender no futuro - por meio de estudos e análises - se haverá algum benefício de classificação devido ao uso do nofollow, UGC e sponsored.