SEO

December 2020 Core Update: a mais recente atualização do Google

Quando falamos de buscadores, logo pensamos em um específico e você já deve saber qual é. Apesar de existirem vários outros, o Google é o motor de busca mais famoso e usado do mundo. Além disso, mais que uma ferramenta que facilita nossas pesquisas, o conhecemos também por ser uma das empresas mais relevantes globalmente do século XXI até agora. Por isso, qualquer atualização nos seus algoritmos, mexe bastante com todo o mercado. Com a mais recente, a December 2020 Core Update não foi diferente. 

Para quem trabalha com marketing digital, o Google é duplamente importante: tanto na utilização do dia a dia como usuário, quanto no âmbito profissional, principalmente para SEO. Por isso, é fundamental estar sempre acompanhando o que o Google dita ou recomenda seguirmos para que nossos sites não sejam prejudicados no ranqueamento

Pensando nisso, reunimos aqui as principais informações que você precisa saber sobre essa última atualização nos algoritmos do Google, anunciada no dia 4 de dezembro.

Continue lendo este artigo para entender:

  • o que essa atualização significa
  • no que impacta no seu trabalho de SEO
  • se você deve mudar sua estratégia ou não 

O contexto da December 2020 Core Update

ilustração de um laptop com a página do Google aberta
fonte: flaticon.com

Mudanças nos algoritmos do Google podem implicar diretamente na diminuição de visibilidade do site ou até mesmo na diminuição de vendas. Todos os segmentos e modelos de negócios podem ser afetados.

Uma série de atualizações é feita pelo Google durante todo o ano. Algumas com impacto maior, outras menor. No caso das atualizações de maior relevância, como a December 2020 Core Update, é mais comum o próprio buscador avisar por meio de comunicados oficiais. Geralmente, essas modificações costumam mexer com a comunidade do Marketing Digital, principalmente com aqueles que se beneficiam dos acessos vindos das páginas do buscador.

Com este recente update, muitos sites sofreram oscilações de tráfego e posicionamento das suas palavras-chave, pelo menos nas duas últimas semanas. Vale ressaltar que este comportamento é comum neste momento de mudanças.

Devo me preocupar ou não?

ilustração de uma mulher pensativa trabalhando em seu laptop sob uma escrivaninha
fonte: freepik.com

Durante os primeiros dias de implementação da atualização, foram observados impactos tanto em segmentos quanto em domínios. 

Os segmentos de saúde, imóveis, direito e governo foram os mais afetados, de maneira geral, tanto em desktop quanto nos dispositivos móveis.

Falando apenas de desktop, viagens e finanças foram as categorias que tiveram altas taxas de volatilidade. Já nos dispositivos móveis, os setores afetados foram emprego, educação, pets e animais. 

Além de setores específicos, domínios com tráfego que ultrapassam 1 milhão de visitantes mensais foram seriamente afetados. Quase 50% dos domínios prejudicados e beneficiados têm essa característica. E mais: 1 em cada 3 domínios que experimentaram quedas de visibilidade são sites com mais de 10 milhões de visitantes por mês.

Confira os gráfico do Semrush com os setores “vencedores” e “perdedores”:

gráfico-semrush-segmentos-vencedores
fonte: semrush

 

grafico-semrush-atualizacao-google-perdedores
fonte: semrush

Afinal, o que mudou?

ilustração de uma mão segurando lupa em uma tela de computador com uma página de site aberta e outras ao redor, exemplificando a relação do link building com SEO
fonte: freepik.com

Desde 2013 o Google passou a levar bastante em consideração não só as palavras-chave, mas também o universo semântico. A partir desse momento, para quem investe em blog na estratégia de SEO, o conteúdo de qualidade foi sendo cada vez mais valorizado ao longo dos anos. E mais recentemente, a experiência do usuário nos sites está sendo colocada em evidência. 

Claro que as questões técnicas (on-page) têm muito impacto, mas em internet semântica a mensagem vai ter um peso cada vez maior.

Se você ainda não tem sua estratégia de SEO adaptada a estes critérios, então fique atento!

Como posso adaptar minha estratégia a esta atualização?

ilustração de pessoas representando nicho de site
fonte: freepik.com

O próprio Google, nas páginas da Central de Pesquisa, deixa algumas dicas para você não errar na sua estratégia e acompanhar as atualizações. É importante também você se questionar se:

  • Você está oferecendo o melhor conteúdo em suas páginas?
  • O conteúdo fornece informações ou análises originais?
  • O conteúdo fornece uma descrição substancial, completa ou abrangente do tópico?
  • O conteúdo fornece uma análise criteriosa ou informações interessantes além do óbvio?
  • Se o conteúdo se baseia em outras fontes, ele evita simplesmente copiar ou reescrever essas fontes e, em vez disso, fornece valor adicional e originalidade substanciais?
  • O título da página fornece um resumo descritivo e útil do conteúdo?

Após fazer responder estas perguntas, reavalie a maneira que você está trabalhando SEO no seu site e use esta lista como um guia.

E você? Como está cuidando do conteúdo do seu site?

O que é link juice?

O link juice é um termo antigo no SEO para se referir à transferência de benefícios (autoridade) por meio de links entre diferentes páginas. Você vai encontrar alguns especialistas que afirmam que o termo está obsoleto.  A razão é que o conceito de link juice se popularizou com a criação da métrica de PageRank do Google (que deixou de ser atualizada em 2013).

Pode ser também que, entre tantos termos, você encontre por aí quem chame o link juice de link equity. A verdade é que todo mundo sabe da influência desse recurso no ranqueamento dos sites no Google. Independente de “estar na moda” (ou não), o que queremos é que você compreenda a razão de o conceito existir e possa decidir quando utilizá-lo.

Para isso, preparamos este artigo para você entender os seguintes tópicos:

  • A influência do Google no conceito de link juice
  • Como funciona o link juice e a relação com a distribuição de links
  • Como funciona o link juice dentro da estratégia de link building.
  • Como usar o link juice nos tempos atuais

Mas, para entender melhor o termo, precisamos dar um passo atrás e destrinchar como funcionam os algoritmos dos motores de busca.

Para saber mais sobre o assunto, você também pode conferir este artigo:

Como o Google vê o link juice?

ilustração de uma mão segurando lupa em uma tela de computador com uma página de site aberta e outras ao redor, exemplificando a relação do link building com SEO
fonte: freepik.com

Toda vez que você acessa as páginas do Google e digita algo no campo de busca, os robôs do Google (do Bing e de qualquer outro motor de busca) fazem uma varredura na web atrás de páginas e arquivos que tenham alguma relação com o que você procura.

Tudo isso acontece em poucos segundos. Para transitar entre esses diferentes sites e endereços web, os robôs usam os hiperlinks como uma ponte. Logo, quanto mais links de diferentes fontes direcionados para o seu site, mais facilmente ele será encontrado pelos robôs.

Entretanto, ao passarem de um site para outro por meio de links, os robôs levam junto alguns benefícios do domínio (site) de origem para o domínio visitado. É o que chamamos de transferência de autoridade (benefícios). Nesse contexto, são os links que vão determinar o quanto de autoridade será passado de um site para o outro.

Mas afinal o que é link juice?

O nome vem do inglês e significa, na tradução literal, suco de link. E essa ideia é fundamental para entendermos o conceito do link juice com clareza.

Pense no seu site como uma jarra de suco. Todo o líquido que tem nele representa a autoridade que ele conseguiu no decorrer do tempo. Ele tem bastante conteúdo e outros atributos que o fazem ter um nível de links, mas está em uma seara repleta de outras jarras com o mesmo suco.

representação de link huice com jarra de suco e copos com tampa e canudinho
por Experta Media

Para se destacar, ele precisa distribuir esse conteúdo em pequenos copos para que o mecanismo sedento do Google se sinta seduzido.

representação de link juice (copos)
por Experta Media

Esses copos são os hiperlinks, que contêm uma boa parte do conteúdo (autoridade) da jarra. Quando os robôs veem esses “copos” espalhados pela web (dentro de um contexto que faça sentido, é bom lembrar) entendem que a fonte de onde vêm aquelas informações é boa.

A primeira maneira que o Google criou para medir a autoridade por meio de backlinks foi o PageRank. Embora ainda tenha a sua importância, ele não é mais o único algoritmo que determina a classificação de um site.

Atualmente, o valor de um link é determinado considerando pontos como:

  • Relevância dos links: isso significa saber se o link está contextualizado com a página que vai recebê-lo, se traz informações adicionais à determinada busca feita pelo usuário.
  • Rastreabilidade dos links: páginas bloqueadas para rastreadores por meio do arquivo robot.txt tendem a ser ignoradas e, logo, não transmitem sua autoridade.
  • Posição dos links: o ideal é que estejam no corpo do texto e não em barras laterais ou no rodapé.
  • Quantidade de links por página: embora não haja regra quanto a isso, quanto mais links dentro de uma página, mais diluído será o link juice.
  • Autoridade do site de vinculação: links recebidos de sites pequenos, recentes são menos relevantes do que aqueles vindos de sites com reputação mais solidificada.
  • Tipo de atributo dos links: links nofollow tendem a não ter a mesma relevância que os dofollow, mas falaremos mais sobre esse ponto a seguir.

Como calcular o link juice na distribuição de links

ilustração de uma mulher pensativa trabalhando em seu laptop sob uma escrivaninha
fonte: freepik.com

Conforme começamos a aprender, os hiperlinks (que podem ser internos ou externos) são os copos que fazem a distribuição dos benefícios. Cabe aqui ressaltar que alguns copos podem estar mais cheio do que outros ou até mesmo não conter nenhum link juice.

Os links internos são aqueles que fazem referências a conteúdos complementares dentro do seu próprio site. Como esse que usamos aí em cima para falar de link building. Já os externos são os que vão linkar para outros sites, levando parte da autoridade para eles.

É nesse ponto que entra a distribuição do link juice. De forma geral:

  • Quanto maior a quantidade de links em uma página, mais diluído o link juice será.
  • Link UGC e Sponsor não passam link juice e os links nofollow agora são vistos como uma sugestão para passar link juice (até 2019 o Google afirmava que não passava).
  • Quanto mais no início da página um link estiver, mas link juice irá passar. (Segundo alguns especialistas essa afirmação não pode ser levada ao pé da letra. Aqui na Experta Media, acreditamos que vale muito mais o contexto do link do que a posição).

Por que e quando linkar para outros sites?

ilustração de laptop conectando a 3 páginas suspensas
fonte: freepik.com

Mas enviar links para outros sites não é dar tiro no pé? Transferir a audiência para outro lugar?

Precisamos ter em mente que os hiperlinks são serviços que prestamos ao usuário. E é exatamente isso que o Google espera dos produtores de conteúdo.

Se você está usando um link externo que faz muito sentido dentro daquele conteúdo e vai agregar valor à experiência do usuário, o buscador recompensa isso.

Agora o bom mesmo é quando o inverso acontece, isto é, quando um site aponta para o seu. Os sonhados backlinks são a cereja do bolo da autoridade SEO.

Não adianta ter todo o SEO on-page rodando direitinho se não houver links apontando para o seu site.

É que Google entende cada backlink como um voto de confiança ao seu site (passando link juice). Sendo assim, é importante traçar uma estratégia bastante sólida para atrair backlinks de qualidade.

Isso porque a autoridade na internet está muito ligada à confiança que as pessoas têm na sua marca – pessoal ou empresarial. E quer voto de confiança maior do que levar a própria audiência para outra página?

Mas atenção: assim como tudo no marketing digital, é preciso estratégia.

Por quê?

Explicamos a seguir.

Direcionando links para o lugar certo

ilustração de pessoas representando nicho de site
fonte: freepik.com

Esse é um dos pontos mais importantes do link juice: saber para onde direcionar os links – sejam eles internos ou externos.

Não adianta colocar links que não tenham relação com o conteúdo porque o Google já consegue perceber isso e, obviamente, o público também.

Portanto, o excesso de links para páginas institucionais (que eram muito comuns) não são mais indicados. Isso podia fazer algum sentido quando a produção de conteúdo para a web começou, mas o uso indiscriminado do recurso o fez cair por terra. O Google percebeu a malandragem e mudou as regras do jogo (foco no usuário, lembra?).

Agora o contexto do conteúdo – e não só a arquitetura do site e hierarquia de links – passou a ser considerado para o ranqueamento da página. Reserve o rel=dofollow para os conteúdos relevantes que realmente respondam às dores dos usuários.

Isso porque são eles que mostram ao Google a relação genuína de confiança e respeito que existe entre o seu site e aquele que está distribuindo o seu link.

Os links dofollow são aqueles votos de confiança sobre os quais falamos acima.

Já os nofollow, o sponsor e o UGC são aqueles em que o site que recebe o link opta por mudar o código html de forma a fazer o Google entender que não é para passar a autoridade do site que enviou o link.

Saiba mais sobre estes atributos de links

Só que mais uma vez, o uso excessivo do recurso fez o Google rever as regras. E, desde março, ele entende o nofollow como uma sugestão para seguir.

Dessa forma, ganhar um nofollow não é de todo ruim, pois, aumenta o alcance da marca, gerando mais tráfego além de facilitar a negociação da publicação do seu conteúdo em sites de terceiros.

Entenda melhor sobre marcar os links como nofollow.

Conclusão

A transmissão de autoridade entre sites é uma importante ferramenta para se obter destaque nas SERPs (Search Engine Results Pages) do Google.

Porém, ocupar as primeiras colocações nos motores de busca não é uma tarefa fácil. É preciso encontrar o equilíbrio perfeito entre os fatores on- page e off- page para garantir o sucesso da empreitada.

Esse post foi útil para você? Deixe um comentário ou compartilhe nas suas redes sociais.

Entenda o que é e como funciona uma PBN no SEO

Todo mundo quer chegar no topo dos resultados de busca do Google. Uma boa posição garante um maior tráfego e, consequentemente, maior probabilidade de conversão (seja pela venda de um produto ou serviço, cadastro de um e-mail, etc). Mas os caminho escolhidos para alcançar essa posição podem ser diferentes. Nesse artigo vamos explicar o que é PBN (Private Blogs Network), como ela funciona e que tipo de resultados ela pode gerar para um site. Antes de começar, vale um alerta: Você vai encontrar diversos profissionais que acreditam nessa estratégia. Mas ela não é recomendada e os resultados podem ser bem diferentes do esperado. Esse artigo tem o objetivo de explicar como esse processo funciona, para que você pense bem antes de adotar a prática. Veja os tópicos que abordaremos:

  • O que é PBN
  • Como construir uma PBN
  • PBN: vantagens e desvantagens
  • Vale a pena usar PBN?

Vamos lá?

O que é PBN

ilustração de personagem com características masculinas sentado em uma escrivaninha interagindo com 4 telas um páginas de sites abertas
fonte: freepik.com

Private Blogs Network ou Rede Privada de Blogs é uma estratégia usada com o objetivo de aumentar a autoridade de um determinado domínio, índice que impacta diretamente na percepção dos algoritmos do Google sobre o site e pode levá-lo à posições mais privilegiadas no ranking de resultados. Como o próprio nome já sugere, a PBN é uma rede fechada. Os blogs que fazem parte dela são criados e atualizados com o objetivo de alimentar links que serão enviados para outros sites, que podem ser um e-commerce ou até mesmo para comercialização mais geral. Periodicamente, ainda que sem um padrão determinado, novos backlinks vão sendo gerados para o site principal. Dessa forma, espera-se que os algoritmos do Google percebam que se trata de um site constantemente referenciado por outros e retribuam o bom trabalho prestado à seus usuários aumentando a autoridade desse site, tornando-o mais facilmente encontrável.

Como é construída uma PBN

ilustração de um desenvolvedor e páginas de site com códigos na tela de um notebook
fonte: freepik.com

As PBNs geralmente são criadas a partir da compra de domínios expirados, ou seja, domínios que um dia já estiveram ativos na web mas que por um motivo qualquer, já não estão mais sendo utilizados por seus proprietários originais. Esses domínios podem ser comprados novamente, no GoDaddy ou em outros serviços, por exemplo. E mesmo antes da compra ser feita, é possível checar qual era o conteúdo publicado nele, verificar métricas como o DA (Domain Authority, de acordo com o MOZ) e ter acesso aos seus backlinks. Quando são reativados, os domínios tendem a seguir com a autoridade construída no passado. É por isso que as PBNs optam por eles. Depois de comprar alguns domínios, é preciso hospedá-los de forma independente um do outro, utilizando serviços de hospedagem diferentes. Esse é apenas um dos “truques” para tentar fazer com que o Google não capte tão facilmente a rede que foi criada. A construção de um layout, a otimização SEO on-page e a publicação regular de artigos em cada um dos blogs que compõem uma PBN são outras ações para tentar fazer a estratégia funcionar. Mas será que dá certo mesmo?

PBN: vantagens e desvantagens

estratégia
Icons made by Flat Icons from www.flaticon.com

Os entusiastas da PBN alegam que há muitas vantagens em utilizar essa técnica. De fato, construir uma rede de blogs privada pode poupar dinheiro e algum tempo na hora de negociar parcerias com blogs de terceiros, além de trazer uma sensação de garantia na constância na obtenção de backlinks. Quando uma só pessoa ou uma mesma equipe é responsável pelo site referenciado e pelos blogs que fazem a referência, é possível escolher exatamente que tipo de link é o ideal para aquele momento e qual é o texto âncora que vai suportá-lo. Basicamente, essas são as vantagens da PBN. Mas, para obtê-las, você vai precisar:

  • Investir na compra de domínios
  • Arcar com o custos de hospedagem para cada um deles
  • Dedicar tempo para checar detalhes importantes para o funcionamento perfeito desses blogs, como a indexação no Google.
  • Produzir conteúdos relevantes para alimentar todos eles (mesmo que nem todos eles direcionem para o site principal, novos posts precisam ser feitos regularmente para que a autoridade seja mantida)

Além de toda a mão de obra, quem opta por fazer PBN ainda precisa lidar com o risco iminente de ser punido pelo Google ou, no melhor dos casos, não visualizar resultados expressivos. As PBNs já tiveram seu auge há alguns anos, mas hoje não são consideradas uma boa prática,  apesar de alguns especialistas não afirmarem que PBN é black hat. Dominar todas as etapas do processo de obtenção de um link sugere alguma manipulação e os algoritmos do Google detestam se sentir manipulados.

Vale a pena usar PBN?

ilustração de uma mulher pensativa trabalhando em seu laptop sob uma escrivaninha
fonte: freepik.com

Na nossa opinião, não! Mesmo que você não seja o responsável por construir sua PBN, poderá encontrar diversas ofertas no mercado de links vindos desse tipo de site. Por isso, é importante que você saiba que existem estratégias capazes de trazer um resultado muito mais consistente e alinhado com o comportamento que o Google espera de um site. No link building, por exemplo, é possível conseguir backlinks de qualidade, com constância e segurança. Quando o trabalho é bem feito, cada site ou blog parceiro é analisado de acordo com suas métricas e somente os melhores são escolhidos. A partir desse ponto, inicia-se um processo de relacionamento e promoção dos conteúdos. O espaço para a publicação de um artigo contendo link é negociado com base na relevância do conteúdo criado, que atende, principalmente, ao usuário final, ao leitor. Depois de alguns meses de link building, a lista de backlinks se torna diversa, plural, e os resultados chegam para ficar. O verdadeiro sentido da autoridade, gerada pelo reconhecimento do valor daquilo que você tem para compartilhar, acontece. A PBN não é capaz de fazer isso por você.

Dicionário do SEO para jornalistas

  • Alt de Imagem ou Alt Text: campo inserido nas imagens conhecido como texto alternativo. É um fator de ranqueamento, além de ser importantíssimo para pessoas com deficiência visual, já que o conteúdo desse campo pode ser lido por dispositivos de áudio.
  • AMP (Accelerate Mobile Pages): é um formato de página otimizada para um carregamento simplificado. O objetivo é atender ao conceito de Mobile First, no qual a arquitetura e o desenvolvimento são direcionados aos dispositivos móveis e, em seguida, aos desktops.
  • Arquitetura da informação: organização das seções, categorias e subcategorias de um site. Uma boa arquitetura colabora para uma melhor navegação dos bots do Google. 
  • Atributo do link: um atributo descritivo anexado a um hiperlink para definir o tipo do link ou a relação entre link de origem e de destino.
  • Autoridade de domínio: Autoridade de domínio é uma medida qualitativa que está relacionada à visibilidade e a classificação de um site no nos mecanismos de busca. Os algoritmos do Google levam em consideração diversos fatores para determinar o nível de autoridade de um site na Web, com base, principalmente, na qualidade do conteúdo e na relevância dos links que apontam para ele.
  • Atualizações do Google: refere-se a mudanças que o Google faz em seus algoritmos e que podem impactar no ranqueamento de um site. As grandes atualizações possuem nomes como: Panda, Penguin, Hummingbird e muitos outros.
  • Backlinks: são links que outros sites enviam para o seu site ou página. A linkagem entre páginas tem um papel importante. Pode-se dizer que os backlinks organizam a Internet ajudando a transformá-la em um ambiente coeso.
  • Black Hat: técnicas e ações para ranquear um site que vão contra as orientações do Google. Em determinadas situações, o black hat por parte dos motores de busca. 
  • Bots, robôs do Google, GoogleBots, spiders: um programa que navega sistematicamente na World Wide Web para indexar e classificar informações.
  • CMS (content management system): Sistema de gerenciamento de conteúdo. Um exemplo famoso de CMS é o WordPress. Um CMS permite criar, editar, gerenciar e publicar conteúdo na internet,  permitindo que o mesmo seja modificado, removido e adicionado sem a necessidade do conhecimento da linguagem HTML de marcação.
  • Canonical tag: é uma tag de link HTML com o atributo rel = canonical. Uma tag canonical permite que você informe aos mecanismos de pesquisa que certas URLs possuem conteúdo semelhantes e informa qual deve ser levada em consideração. É fundamental para que o Google não considere alguns conteúdos como duplicados. 
  • Densidade de palavras-chave: refere-se a porcentagem ou mensuração de quantas vezes um determinado termo é inserido em um conteúdo. 
  • Description / Meta description: não é considerado um fator de ranqueamento. É um texto resumido que tem a intenção de mostrar o assunto da página ranqueada. É muito relevante pois, muitas vezes, irá determinar se o usuário se interessará pelo assunto e se clicará ou não em sua página/site.
  • Domínio: É o endereço do de um site. Exemplo: expertamedia.com.br
  • Fatores de ranqueamento: são elementos que o Google leva em consideração ao determinar a posição de um URL/página nos resultados da pesquisa. Existem muitos fatores de classificação e eles levam em consideração tanto os fatores técnicos de um site, quanto a relação com outros sites. 
  • Follow: atributo que indica aos robôs que eles devem seguir para origem de destino de um link e contar o link como fator de autoridade
  • Headings: também conhecidas como H1, H2, H3. São tags HTML utilizadas para destacar títulos e intertítulos de uma página.
  • HTML: Linguagem utilizada na construção de páginas na Web.
  • HTTPS/HTTP (Hyper Text Transfer Protocol Secure): São protocolos de comunicação para transferência de dados, garantindo a segurança dos dados enviados e recebidos pelo usuário. 
  • Indexar – Indexação: processo no qual as as informações do rastreamento são salvas em um grande banco de dados, chamada de index.
  • Keyword (palavra-chave):  refere-se ao  termo de busca que o usuário insere nos motores de buscas.  
  • Long Tail: As long tails, ou palavras-chave de cauda longa, são compostas por frases que geralmente contêm mais de três palavras. Elas são mais descritivas e específica.
  • Link building: é o processo e estratégia de construção de backlinks vindo de outros sites.

Saiba mais em: https://www.expertamedia.com.br/link-building/historia-link-building/

  • Nofollow: o código rel=”nofollow” indica que determinado link ou conteúdo não devem ser “seguidos” pelos bots do Google.
  • Mecanismos de Busca/mecanismos de pesquisa/  motores de busca: sites como o Google que tem o objetivo de procurar por informações na web e entregar ao usuário.
  • Otimização: Todo o trabalho realizado para melhorar o ranqueamento de uma página ou de um conteúdo no Google.
  • PageRank: Métrica criada pela Google e utilizada pelo Google dentro do seu algoritmo para classificar a importância que um site ou página. O PageRank deixou de ser atualizado pelo Google há alguns anos e não deve ser usado como referência. 
  • Penalidade ou penalização: É a punição do Google para um site. Ocorre quando alguma ação que vai contra as suas diretrizes é cometida. 
  • Ranqueamento: Posicionamento alcançado pelo conteúdo nas páginas do Google.
  • Redirecionamento ou Redirect: quando uma página da web é visitada em um determinado URL, ela muda para um URL diferente.
  • Responsivo:  é um site que se adapta a diferentes plataformas (celular, tablet, desktop)sem afetar a experiência do usuário.
  • Resultados orgânicos: são os resultados que aparecem nas páginas dos dos buscadores de forma natural e sem pagar.
  • SEO Off-page: estratégia de SEO que visa a construção de autoridade a partir do relacionamento com outros sites.

Saiba mais em: https://www.expertamedia.com.br/seo/o-que-e-seo-off-page/

  • SEO On-page: melhorias que fazemos no próprio site e conteúdo.

Saiba mais em: https://www.expertamedia.com.br/seo/seo-on-page/

  • SERP (Search Engine Results Page): página de resultados dos motores de busca.
  • Sitemap: Trata-se literalmente do mapa do seu site, no qual você indica aos crawlers do Google quais páginas deverão ser indexadas.
  • Tags: marcações específicas de que hierarquizam os conteúdos dentro do site.
  • Texto-âncora (anchor text): Quando você navega por um texto em uma página de um site, muitas vezes você se depara com um hiperlink clicável. Por exemplo este aqui: EXPERTA MEDIA. Como o hiperlink está na palavras EXPERTA MEDIA, chamamos esta expressão de texto-âncora.
  • Title – Page Title: é uma marcação HTML que mostra o título de uma página aos  buscadores.
  • URL: É um caminho de um conteúdo de  um site
  • 301: Redirecionamento permanente que transfere a relevância da página antiga para a nova.
  • 302: Redirecionamento temporário.
  • 404: Página de Erro. Devemos evitar ter muitos 404 no nosso site; há forma de otimizar a página de erro 

O que é SEO Local

Destaque seu negócio localmente utilizando o SEO na sua região e tenha mais visibilidade

Ter um site significa uma oportunidade para alcançar pessoas em qualquer lugar do mundo. Entretanto, muitas vezes, o que um usuário deseja é obter informações de uma região geográfica próxima, principalmente quando realiza essas buscas pelo celular. É aí que as técnicas de SEO local entram em ação. Não é mistério para ninguém que sem pensar em SEO é bastante improvável que um site alcance o topo da lista de resultados em motores de busca, como o Google.

O SEO é um conjunto de técnicas utilizadas para, como o próprio nome diz, otimizar um site de acordo com os parâmetros utilizados pelo Google para decidir a ordem dos resultados.

A cada nova atualização desses parâmetros, mais otimizações são possíveis. Tudo isso para que a pessoa que utiliza esse buscador tenha uma experiência cada vez mais gratificante quando utilizá-lo, para que volte a utilizar sempre. Foi assim que, há alguns anos, o Google percebeu que quando pessoas procuram por certos tipos de empresas, os resultados que estão em uma área próxima fazem mais sentido. É por isso que, na busca local, o fator proximidade é levado em consideração. Em outras palavras, o Google vai mostrar a lista de resultados considerando o local onde quem faz a pesquisa está. O SEO Local foi se tornando importante à medida que os acessos a partir de dispositivos móveis foram aumentando. Se você tem um negócio que oferece serviços ou produtos em um local fixo (ainda que operando em delivery!), não pode deixar de preparar o seu site para alcançar o público que está perto de você. Você vai ler nesse artigo:
  • O que é SEO Local
  • Quais os benefícios de apostar o SEO Local
  • O que é preciso fazer para aparecer nas buscas locais

O que é SEO Local

pesquisa do termo seo em um buscador online
fonte: freepik.com
Para saber o que é o SEO Local e como ele funciona, antes é preciso falar sobre o SEO. Search Engine Optimization, ou somente SEO, é o termo que os profissionais do marketing digital utilizam para falar de algumas técnicas que são empregadas em um site. O objetivo de uma otimização SEO é fazer com que um site esteja adequado aos critérios que o Google considera importantes. Ter um site otimizado para SEO é o jeito mais seguro para conquistar posições no ranking do Google. Ou seja, para aparecer entre os primeiros resultados quando uma pesquisa por alguma palavra-chave referente ao seu negócio é feita. No SEO Local, o que muda é o fator localização, que passa a ser considerado. Os resultados que vão aparecer para quem realiza uma pesquisa serão aqueles que estão ao seu redor, geograficamente. Nem mesmo é preciso que a pessoa que está pesquisando inclua termos como “perto de mim” ou o nome da cidade onde ele está. O Google já é capaz de mostrar resultados nas proximidades se baseando pela localização do IP (quando a busca é feita por um computador) ou do GPS do celular. Faça o teste! Abra o Google agora e digite “pizza”. Não fique espantado ao ver pizzarias perto de você aparecendo tanto nos resultados pagos quanto nos orgânicos. Se você fizer a mesma busca estando em outro lugar, ainda que no mesmo dispositivo, os resultados mostrados serão diferentes. A fórmula para ter o seu site figurando entre os resultados da busca local é, basicamente, deixar o Google saber que sua empresa oferece um serviço em determinado lugar, e mostrar a ele a sua relevância nessa área. Falaremos disso mais adiante. Antes, vamos entender que tipo de vantagem um site otimizado para SEO Local pode trazer.

Benefícios do SEO Local

ilustração de uma mão fazendo sinal positivo
fonte: flaticon.com
Você não precisa ter um e-commerce para se beneficiar do trabalho em SEO Local. Pelo contrário, esse formato de resultado é perfeito para negócios que possuem local fixo de atendimento, como restaurantes e salões de beleza, por exemplo. Enquanto o Google mostra nos resultados da busca lugares onde é possível ir, você tem a chance de atrair para o seu negócio quem estava procurando pelo que você oferece. Confira mais alguns benefícios de fortalecer seu site para SEO Local:
  • Aumenta a visibilidade do seu negócio, deixando o nome da sua empresa entre os concorrentes e na mente do consumidor;
  • Você tem a chance de começar a venda on-line, dando informações ao cliente por meio do site antes mesmo que ele chegue ao seu estabelecimento;
  • Sua marca conquista autoridade entre o público e próprio Google.

SEO Local: como aparecer entre os resultados da busca local

ilustração de uma mão segurando lupa em uma tela de computador com uma página de site aberta e outras ao redor, exemplificando a relação do link building com SEO
fonte: freepik.com
Existem duas formas de aparecer como uma opção entre os resultados de uma busca que atende aos requisitos de SEO local.

Local Pack

São 3 resultados que aparecem logo no topo da busca, em um local de destaque. Para ter a chance de aparecer no Local Pack, é preciso cadastrar sua empresa no Google Meu Negócio. Em seguida, são listados os resultados orgânicos. É para aparecer nessa lista que as técnicas de SEO Local são aplicadas. Conheça 3 formas de otimização para SEO Local:
  • SEO on-page x  NAP

Ter um site organizado, seguindo as boas práticas do Google, não deixa de ser extremamente importante quando o objetivo é ranquear no SEO Local. Além de cuidar para que seu site tenha uma boa velocidade de carregamento, URLs amigáveis, seja seguro e mobile friendly, você também precisa inserir os dados NAP (name, address, phone ou nome, endereço e telefone). Assim você se certifica que o Google sempre associará sua empresa ao local onde ela está.
  • Link Building

Uma das formas do Google captar o relacionamento de um site com outro é por meio de links.  Essa é uma forma de mostrar aos algoritmos que a sua empresa possui relevância. Quando falamos especificamente sobre SEO Local, conquistar backlinks de outras empresas da região, de sites de notícias locais ou até mesmo de blogs que explorem essa localização em seus posts pode ser válido. Os dados NAP também são indispensáveis sempre que houver uma citação!

  • Conteúdo local

Manter seu site atualizado é fundamental para que o Google possa perceber sua relevância. Uma boa opção pode ser ter um blog onde você fale tanto do nicho de atuação da sua empresa quanto da área onde ela está localizada.

Conclusão

Não são apenas os e-commerces que podem se beneficiar do SEO. Qualquer empresa que queria atrair mais clientes pode utilizar o marketing digital para isso. O SEO Local é mais uma opção para atingir esse objetivo.

O que é SEO: entenda de uma vez por todas o que significa

Você começou o seu próprio negócio e sabe que ter um site é um passo fundamental para atrair mais clientes. Por isso, comprou um domínio, escolheu um pacote de hospedagem, criou um layout e colocou o site no ar. Desse momento em diante, você passou a se interessar cada vez mais por formas de fazer com que as pessoas cheguem até o seu site. Afinal, a gente sabe que o processo não é algo barato e que, se ele não te ajuda a conseguir mais clientes, esse investimento pode ficar comprometido. É tentando obter resultados com seus sites que maioria das pessoas conhece o SEO (Search Engine Optimization ). As técnicas são fundamentais para que um site se destaque em meio a tantos outros e entre no radar dos clientes de forma natural e orgânica.

Se você está nesse caminho, vamos explicar de forma definitiva o que é SEO e como é possível trabalhar seus conceitos para conquistar uma presença digital mais sólida.

Neste post, você vai descobrir:

  • O que é SEO
  • A diferença entre SEO on-page e SEO off-page
  • As otimizações que fazem diferença para o seu site

O que é SEO?

pesquisa do termo seo em um buscador online
fonte: freepik.com

Search Engine Optimization, Otimização para Motores de Busca ou simplesmente SEO é um conjunto de técnicas aplicadas dentro ou fora de um site com o objetivo de torná-lo mais facilmente encontrável por quem busca o conteúdo que ele tem a oferecer. Pense por um segundo na quantidade de sites presentes na internet hoje em dia. Uma infinidade, não é mesmo? Quando uma pessoa comum, como eu e você, vai em busca de uma informação na internet, dois caminhos se apresentam:

  • Digitamos o endereço do site que queremos acessar ou
  • Realizamos uma pesquisa, por meio de palavras chaves (no Google, por exemplo) que resumem aquilo que queremos encontrar

A otimização SEO está diretamente ligada a esse segundo ponto. Quando acessamos um buscador, digitamos (ou mesmo falamos) o que queremos achar e apertamos enter. Em poucos segundos, uma extensa lista de resultados se abre na nossa frente. Essa é uma prática comum para a maioria das pessoas atualmente. Mas você já se perguntou como é definida a ordem de aparição desses resultados? Entender a otimização SEO pode deixar essa questão mais compreensível!

Para que serve o SEO?

ilustração de uma mulher pensativa trabalhando em seu laptop sob uma escrivaninha
fonte: freepik.com

As técnicas de otimização SEO permitem ao Google, que trabalha por meio de algoritmos, a entender exatamente sobre qual assunto um site. A partir desse ponto, ele busca fazer o cruzamento de dados perfeito entre o termo de busca utilizado na pesquisa e o resultado apresentado ao usuário. Quanto melhor ele consegue responder essa demanda, apresentando conteúdos de qualidade para quem está por trás da tela, mais ele garante que aquele usuário vá repetir essa ação sempre que estiver procurando alguma informação. Para quem possui um site, as técnicas de SEO servem para adequá-lo a essas buscas. Na prática, o resultado dessas ações está na ascensão do site na página de resultados do Google, conhecida como SERP (Search Engine Results Page). O que os profissionais de marketing digital já sabem, mas talvez você não saiba, é que, quanto mais alto for o posicionamento de um site nesse ranking de resultados, maior a chance de o usuário clicar nele. É assim que a popularidade do site começa a aumentar. Logo será possível mensurar a quantidade de visitas e de conversões (como as vendas) obtidas de forma orgânica (sem pagar anúncios).

SEO on-page e SEO off-page: definições e diferenças

ilustração de uma mão segurando lupa em uma tela de computador com uma página de site aberta e outras ao redor, exemplificando a relação do link building com SEO
fonte: freepik.com

 

As técnicas SEO podem ser aplicadas tanto dentro, quanto fora de um site.

SEO on-page

Diz respeito a todas as adequações que são feitas dentro do domínio para que o Google entenda perfeitamente do se trata o site.

Ele abrange desde a parte técnica do site, como a plataforma escolhida para a hospedagem e a otimização para dispositivos móveis, até detalhes semânticos, que devem se basear no volume de buscas de palavras-chave referentes ao seu negócio. Estamos falando das URL´s e títulos das páginas e dos conteúdos que elas abrigam.

SEO off-page

Como você deve estar imaginando, tem a ver com ações que acontecem fora do domínio, mas que trazem benefícios a ele. Acontece que o Google também leva em consideração – e muito – o relacionamento entre os sites, expresso por meio de links. O Link Building é a principal técnica de SEO off-page.

Como melhorar o SEO do meu site?

ilustração de pessoas representando nicho de site
fonte: freepik.com

Agora que você já sabe o que é SEO e como ele é importante para fazer com que o seu público chegue até você, vamos a 3 otimizações que vão ajudar a levar o seu site ao topo:

  • Arquitetura do site

Os algoritmos do Google fazem uma verdadeira varredura de tempos em tempos nos sites, para atualizar o ranking de resultados. Um dos fatores que ele observa dentro de um site é a sua estrutura, ou seja, a forma como o seu site é organizado em páginas. O ideal aqui é que todas as páginas do seu site sejam interligadas por meio de links, de modo que o usuário navegue de maneira fluida entre elas (sem precisar voltar à página inicial, por exemplo).

  • Conteúdo otimizado

Um bom conteúdo é aquele capaz de informar tanto às pessoas que visitam o seu site quanto ao robôs do Google sobre o que se trata o seu site. A presença de palavras-chave, que podem ser encontradas através de ferramentas como o Keyword Planner, precisa ser orgânica. Ou seja: nada de repetir os termos exaustivamente pensando em impressionar. Esse truque até funcionava até pouco tempo atrás, mas hoje em dia pode render o efeito contrário. Produza um conteúdo claro, informativo, original. Pense sempre em ajudar a quem lê.

  • Link building

É por meio do link building que se constrói um dos fatores de mais peso para o SEO: a autoridade do site. Essa técnica consiste em construir relacionamentos com outros sites, por meio de links, e mostra ao Google que seu site é uma referência no assunto que aborda. O raciocínio é simples: quanto mais sites apontando links para o seu site, maior é a sua autoridade e mais peso ele terá quando o Google tiver que decidir quem ocupará uma posição mais privilegiada na página de resultados.

Conclusão

Se você deseja que o seu site seja mais do que um cartão de visitas e comece a trabalhar por você, é preciso aproveitar todo o seu potencial. Cuidar do SEO já não é mais uma opção para quem deseja conquistar uma posição de destaque. Seus concorrentes estão fazendo isso. Comece agora mesmo!

SEO: saiba o que é autoridade de um site

A autoridade é um dos conceitos presentes no universo do Search Engine Optimization (SEO). Ela fala sobre um conjunto de características que um site tem que o torna mais confiável ou atrativo. Para definir a ordem de aparição dos sites na SERP (Search Engine Results Page) – ou, em português, a página de resultados de busca – o Google precisa saber qual deles é capaz de oferecer a melhor experiência para quem está do outro lado da tela. Conquistar autoridade envolve ações contínuas, mas os frutos valem a pena. Afinal, quem não quer ser reconhecido como referência em algum assunto? Nesse artigo, vamos explicar:

  • O que é autoridade
  • Autoridade de domínio, de página e de link
  • Como conquistar uma boa autoridade

Vamos lá?

Definição de autoridade

ilustração de pessoas interagindo com papel, lápis, livros e uma lupa, representando Principais elementos e definições
fonte: freepik.com

Quando você pensa em autoridade, em um contexto geral, o que vem à sua cabeça? Órgãos do governo, líderes religiosos, professores? Não é por acaso. Autoridade tem a ver com hierarquia, com ocupar uma posição de referência.

Quando trazemos essa conversa para o ambiente digital, é mais ou menos assim que ocorre. Afinal, um site com boa autoridade vai ocupar um lugar de destaque na SERP e a empresa por trás dele logo se tornará uma referência no nicho em que atua.

Autoridade de Domínio

ilustração de pessoas representando nicho de site
fonte: freepik.com

A autoridade de domínio é uma métrica ligada ao SEO off-page, ou seja, às ações feitas fora do site que queremos otimizar.

Ela foi criada pela empresa Moz e é, em suma, uma escala de 0 a 100 que afere a autoridade dos sites a partir da avaliação de alguns fatores.

Desde que a Moz criou esse conceito – e uma ferramenta gratuita para medir a autoridade dos sites -, a autoridade de domínio virou um termo comum para quem trabalha com SEO. Mais do que isso: a busca pela otimização dos fatores que o Moz considera na hora de avaliar um site se tornou parte da rotina. São eles:

  • O histórico do seu domínio, ou seja, quanto tempo faz que esse domínio vem sendo mostrado na SERP, e também a relevância do seu conteúdo;
  • A popularidade desse domínio, expressa pela quantidade de links de outros bons sites apontando para o seu. Nesse contexto, esses links são chamados de backlinks.

Perceba que, nos dois fatores, são importantes a quantidade (de tempo ou de backlinks) e a qualidade (do seu conteúdo ou do site que linkou para o seu).

Existem mais duas formas de autoridade que também merecem atenção:

Autoridade de Página

ilustração de uma tela de computador com páginas de site saindo da tela
fonte: freepik.com

Assim como podemos avaliar a autoridade de um site inteiro, também podemos acompanhar essa métrica página por página. São considerados critérios de avaliação:

  • a idade da página;
  • a quantidade de atualizações que ela já teve (isso mostra que ela está em constante aprimoramento);
  • a quantidade de links com boa qualidade que apontam para ela.

Autoridade de Link

 

ilustração de personagens com características femininas e masculinas interagindo com símbolos de elementos do universo digital
fonte: freepik.com

O modo como o backlink é criado pode variar, impactando no quanto de autoridade será transmitida. Por isso, também é possível (e necessário) medir o valor de um link segundo alguns critérios:

  • a presença do atributo Nofollow (que indica se um link deve ser rastreado pelos buscadores);
  • a quantidade de links em uma mesma página;
  • a localização deles ao longo do conteúdo;
  • as palavras que serão usadas como texto âncora.

Recapitulando:

  • Autoridade de Domínio (Domain Authority ou DA): mostra o nível de relevância de um site
  • Autoridade de Página (Page Authority ou PA): mostra o nível de relevância de uma página
  • Autoridade de Link: avalia se um determinado link é capaz de transmitir autoridade do site que faz a referência ao site que a recebe.

Como melhorar a autoridade do seu site

ilustração de mulher em uma régua manuseando uma espécie de régua de pontuação em uma parede
fonte: freepik.com

Agora que você já conhece a importância de criar autoridade de domínio e já descobriu quais são os fatores que colaboram para essa meta, vamos a algumas dicas práticas para que seu site ganhe mais autoridade e algumas posições no ranking do Google também.

Comece pelo seu site

Serp do google
fonte: flatincon.com

O maior impacto na autoridade do seu domínio virá por meio dos backlinks, mas isso não significa que você pode focar só nas ações off-page. O primeiro passo é fazer uma varredura no seu site para identificar oportunidades de otimização como:

  • atualização de conteúdos;
  • otimização da linkagem interna das páginas do seu site, para que uma leve à outra, de modo que a navegação fique fluida e todas as páginas possam ser acessadas através de links.

Ter um site bem construído é o primeiro passo para atrair bons links. Essa parceria funciona como uma indicação qualquer, e ninguém que decepcionar seu público.

Invista em link building

ilustração de laptop conectando a 3 páginas suspensas
fonte: freepik.com

O link building é o modo mais garantido de elevar a autoridade de um domínio. Isso porque essa estratégia leva em consideração a qualidade dos sites que vão linkar para o seu, além de garantir que essas parcerias sejam fechadas em ritmo constante.

Qualquer ganho diferente disso, como links sem relevância ou uma grande quantidade de links em curto espaço de tempo, pode ser ignorado pelo Google ou até mesmo gerar uma punição ao seu site.

Uma boa estratégia de link building vai levar em consideração o nicho do seu negócio e as métricas que seu site apresenta na hora de propor algum tipo de parceria, seja a inclusão de um link para o seu site em um artigo já publicado ou a produção de um novo conteúdo.

O cuidado também vai estar na escolha da pauta, que deve gerar interesse ao leitor, e na inserção do link, que entra como um agregador de informações e deve ser, portanto, útil. Assim, esse vínculo é feito de forma bem natural, ainda que planejada, e os resultados aparecem.

Apostar na construção da autoridade de domínio é um caminho seguro para ascender no ranking do Google, conquistando mais acessos e, consequentemente, mais conversões.

SEO On-page e Off-page: entenda as diferenças

Os profissionais de marketing digital que acompanham o cenário do SEO (Search Engine Optimization) sabem que o Google trabalha constantemente nas atualizações de seu algoritmo. O objetivo da empresa é proporcionar a melhor experiência aos usuários e entregar um resultado de pesquisa contextualizado. Portanto, para uma campanha de SEO alcançar os melhores resultados on-line é preciso entender o que os mecanismos de busca consideram importante na hora de selecionar seu site.

Para que um site ou página se torne relevante para os mecanismos de busca e alcance uma classificação mais alta nas SERPs (Search Engine Results Page) existem técnicas de SEO que você deve desenvolver . Elas podem ser divididas em SEO on-page e SEO off-page. As duas estratégias se complementam e ambas são importantes para o posicionamento on-line de uma marca.

Veja uma breve definição de SEO on-page:

SEO on-page são as estratégias aplicadas no seu site que dependem só de você, pois é possível otimizá-las com ferramentas que estão sob o seu controle. Essas práticas bem adaptadas ao conteúdo melhoram seu posicionamento nos rankings de pesquisa e sua autoridade de domínio (DA).

E agora o SEO off-page:

Já o SEO off-page é o conjunto de estratégias utilizadas para obter backlinks de outros sites da Web. A diferença é que essa técnica inclui métodos para criar e promover conteúdo que gere tráfego para o seu site, portanto ela não depende só de você, e sim de fatores que tornam sua página interessante para o público.

Quer saber mais sobre cada um desses conceitos? Nos próximos parágrafos você vai entender melhor sobre:

  • o que é SEO on-page;
  • o que é SEO off-page;
  • as diferenças na hora de aplicar as estratégias de SEO on-page e SEO off-page, ajustando suas táticas atuais.

Otimize seu site com técnicas de SEO on-page

 

ilustração de uma tela de computador com uma página aberta e duas mulheres na frente interagindo com a cena
fonte: freepik.com

Quando você pensa nas técnicas básicas de otimização do seu conteúdo como usar palavras-chave, tornar a URL amigável ou usar Meta Description, está trabalhando basicamente com SEO on-page, pois são medidas que podem ser aplicadas diretamente por você, dentro do site. Mas isso não quer dizer que você tenha que deixar de lado a qualidade geral e a estrutura do seu conteúdo, pois o desempenho de todos esses mecanismos dependem dele.

Palavras-chave

A otimização de palavras-chave ainda pode ser considerada um dos pontos mais estratégicos do SEO. Sempre considere trabalhar palavras-chaves de cauda longa (long tail keywords), que se encaixam melhor nos padrões de pesquisa dos usuários da Web. Pense no que seu público-alvo está pesquisando e tente encaixar as palavras-chave em torno dessa indagação para otimizar o conteúdo do seu site.

Title tags

Esse é um dos elementos mais importantes quando falamos de SEO On-page. As tags de título fornecem o contexto inicial sobre o assunto tópico de uma respectiva página, ou seja, é o cabeçalho principal que você vê nas páginas de resultados do mecanismo de pesquisa. Essa é também é uma importante informação que os robôs do Google buscam em cada página do seu site. 

Para chamar atenção dos usuários, suas “title tags” precisam informar o que a sua publicação vai mostrar.  Considere também inserir a palavra-chave que você está trabalhando no início da frase (desde que se respeite o contexto). Mas atenção, no Google o espaço para a exibição das title tags é limitado, então procure mantê-las em até 65 caracteres para que não apareçam cortadas.

Heading tags

As headings são os títulos e subtítulos de uma página, organizados dentro de uma lógica ao longo do texto. Os mecanismos de pesquisa usam esses títulos para indexar a estrutura e o conteúdo de suas páginas da Web. O formato h1 deve ser reservado ao título e deve conter a palavra-chave principal. A seguir devem vir os subtítulos (h2, h3…, até h6, se for o caso). O objetivo é semelhante à title tag vista anteriormente mas, neste caso, sem limite de caracteres.

Links internos

Vincular internamente páginas relevantes do seu site facilita o escaneamento das páginas pelos robôs dos mecanismos de busca. Além disso, também induz o usuário a navegar por ele, complementando sua pesquisa com conteúdos criados por você. Esse elemento mantém seus os visitantes envolvidos por mais tempo e melhora a indexação da página pelos mecanismos de pesquisa, o que resultará em uma classificação mais alta. Cada página do seu site deve estar vinculada a outra da mesma categoria ou subcategoria, bem como à página inicial.

Estrutura de URL

Uma estrutura de URL (Uniform Resource Locator) organizada é importante para que os mecanismos de pesquisa rastreiem seu site com mais facilidade e tornem a navegação mais eficiente para os visitantes. Seus localizadores precisam conter palavras-chave que reflitam as páginas para as quais direcionam, pois URLs fáceis de entender têm mais probabilidade de ganhar cliques.

Evite URL’s com muitos caracteres e números.

Meta Description

Meta Description é aquela descrição curta que aparece logo abaixo da URL (Uniform Resource Locator), na página de resultados de pesquisa, ou abaixo de um título nas postagens sociais. Essa descrição deve reproduzir o seu conteúdo, incluindo todas as palavras-chave relevantes a serem buscadas pelos rastreadores. Para garantir que sua descrição seja mostrada da melhor forma, tente mantê-la com até 300 caracteres.

Ganhe tráfego orgânico com as técnicas de SEO off-page

ilustração de uma página de um site em uma tela de computador com elementos de link building ao redor
fonte: freepik.com

A estratégia de SEO off-page engloba todas as medidas adotadas fora do site para otimizar o seu ranqueamento nos mecanismos de busca. Entre elas estão as menções ao seu negócio ou marca (que embora não gerem links, também são consideradas pelos algoritmos do Google) e a construção de uma rede de links que apontam para o seu site – chamada de backlink.

Link building

Essa técnica do SEO off-page é a mais utilizada por profissionais de marketing digital para a geração de backlinks. Existem várias abordagens orgânicas que você pode adotar para que sites apontem para o seu conteúdo. No entanto, é a qualidade desse conteúdo que contribui muito para que a sua estratégia de vinculação traga resultados efetivos. A partir dele, você poderá ganhar links naturalmente ou através de técnicas otimizadas para atraí-los como a criação de peças de conteúdo com alto potencial de compartilhamento.

Veja como criar este conteúdo otimizado para SEO:

https://www.expertamedia.com.br/texto-otimizado-para-seo/

Assessoria de imprensa digital

Os profissionais de assessoria de imprensa podem aumentar sua presença on-line obtendo citações e backlinks de alta qualidade, aumentando o alcance e a visibilidade do seu site e gerando tráfego de referência. Também provam aos mecanismos de pesquisa que seu site é legítimo, relevante e ativo, resultando em pontuações de confiança e classificações mais altas nos mecanismos de busca.

Redes sociais

Embora a classificação de uma página não esteja diretamente ligada à interações nas mídias sociais, as postagens que recebem muitos cliques certamente ajudarão a aumentar o tráfego do site e a gerar muitos compartilhamentos de links.

O SEO on-page e off-page trabalham em conjunto para melhorar a sua classificação nos mecanismos de pesquisa. O seu esforço deve ser direcionado para a produção de um conteúdo de qualidade com o melhor suporte em SEO.

Se você quer se aprofundar mais em SEO on-page, confira este artigo:

https://www.expertamedia.com.br/seo-on-page/

 

E para saber mais sobre SEO off-page, leia o artigo a seguir:

https://www.expertamedia.com.br/o-que-e-seo-off-page/

Tire as suas dúvidas nos comentários ou entre em contato conosco para mais informações.

O que é SEO On-page

Saiba o que é o SEO on-page e como aplicá-lo para melhorar sua estratégia e também seus resultados no Marketing Digital

Para um site ocupar as primeiras páginas de pesquisa da Web, é necessário se atentar a uma combinação de fatores que os mecanismos de busca consideram importantes.  O Search Engine Optimization (SEO) é uma prática que visa à otimização dos sites para que sejam melhor vistos e, consequentemente, elencados pelo Google na página de resultados das buscas.

Essa prática se divide em duas frentes: SEO on-page e SEO off-page.

Por aqui falamos muito sobre o SEO off-page e suas ferramentas, como o link building. Mas a realidade é que essas estratégias não serão eficientes se você não der atenção aos fundamentos do SEO on-page.

Mas do que se trata o SEO on-page?

seo on-page
fonte: flaticon.com

SEO on-page refere-se à prática de otimizar as páginas do seu site para melhorar a sua classificação nos mecanismos de pesquisa e obter mais tráfego orgânico, por meio de diversos elementos. Quando falamos em on-page, portanto, estamos nos referindo a tudo que está dentro do site, como o código-fonte e ao HTML.

Por que o SEO on-page é importante?

ilustração de uma mulher pensativa trabalhando em seu laptop sob uma escrivaninha
fonte: freepik.com

Além de criar conteúdo relevante e de alta qualidade para os usuários da Web, você precisa se preocupar com os elementos visíveis apenas pelos mecanismos de pesquisa. É sob esse aspecto que o SEO on-page é importante, pois inclui a otimização de títulos e elementos técnicos do código-fonte HTML, de acordo com as práticas recomendadas.

Se você se dedicar às estratégias para otimizar o seu conteúdo e sua página, verá a sua colocação no ranking melhorar, o que pode te render mais tráfego e mais conversões para o seu site.

Continue a leitura e veja abaixo alguns fatores de otimização que você deve se concentrar:

Excelência técnica

ilustração de um desenvolvedor e páginas de site com códigos na tela de um notebook
fonte: freepik.com

A qualidade do seu código deve ser alta e, para isso, você precisa que o seu site esteja hospedado em uma plataforma compatível com SEO. Seu trabalho não terá resultado se houver alguma falha técnica impedindo a indexação do seu site.

Mobile Friendly

A compatibilidade com dispositivos móveis não é mais uma sugestão: é um pré requisito, especialmente se você deseja classificar bem o seu conteúdo. Hoje, mais de 50% do tráfego da Internet vem de smartphones e tablets. Mecanismos de pesquisa como o Google, por exemplo, usam a compatibilidade com dispositivos móveis ou velocidade de resposta de um site como um fator de classificação. Essa otimização geralmente se concentra no desenvolvimento de um site responsivo.

URLs amigáveis

URLs limpas e organizadas melhoram a arquitetura do seu site e é mais provável que os usuários cliquem nelas, pois mostram o resultado da pesquisa que melhor corresponde às suas consultas. As URLs devem oferecer a melhor ideia dos tópicos da sua página: inclua uma breve descrição com as palavras-chave que você está segmentando, em vez de uma longa sequência de números confusos. Este recurso descritivo no localizador ajuda a consolidar sua página e eleva a classificação nos resultados de pesquisa.

Title Tag

A title tag é o título que aparece na seção principal de cada página da Web, fornecendo uma sugestão ou contexto inicial sobre qual é o tópico do seu conteúdo. Esse título é destacado na página de resultados do mecanismo de pesquisa – normalmente usado como link clicável. Como geralmente é a primeira coisa que os usuários veem, vale a pena otimizá-las usando palavras-chave específicas ou complementá-las com alterações que mostrem ao leitor que o seu conteúdo é único e valioso. Sua tag title deve conter 60 caracteres ou menos, para que a sequência apareça completa.

Meta Description

A Meta Description é geralmente exibida na página de resultados do mecanismo de busca (SERPs), abaixo do título (title tag). A otimização correta dessas descrições pode ajudar a melhorar a taxa de cliques da página e a percepção da qualidade do resultado. Este recurso não influencia diretamente a classificação, mas ajuda os usuários a entenderem melhor do que se trata o seu conteúdo. Portanto, vale a pena ajustar as palavras-chave principais na sua meta description para melhorar seus resultados de cliques. A meta description, para ser visualizada sem cortes, deve conter até 160 caracteres.

Headings tags

Headings tags são elementos HTML (h1-h6) usados ​​para identificar títulos e subtítulos do seu conteúdo, de maior para a menor importância. Estes cabeçalhos têm uma função importante para os usuários e para o SEO. Uma sequência lógica no texto torna o conteúdo mais fácil e agradável para os visitantes e, por outro lado, fornecer um contexto rico em palavras-chave para os mecanismos de pesquisa. Para o heading h1 você pode usar as mesmas palavras da title tag mas, neste caso, não há limite de caracteres. Para os subtítulos (h2, h3,…) é ideal que você use estrategicamente outras palavras específicas, sinônimos ou frases relacionadas ao conteúdo.

Redação para SEO

Escrever um conteúdo otimizado não é importante somente para o seu blog ou para a sua estratégia de link building. Lembre-se que a otimização leva e conta o que os usuários procuram e como os mecanismos de busca funcionam. Portanto, o conteúdo interno das páginas de seu site também devem ser de alta qualidade, contendo palavras-chave corretas, informativas e claras, para que os mecanismos de pesquisa entendam e classifiquem bem seu site.

Comece escrevendo títulos atraentes. Eles podem significar a diferença entre um clique e uma impressão – é por isso que é importante criá-los estrategicamente. Seus títulos precisam despertar interesse para se destacarem nas SERPs – incentivando o usuário a clicar e continuar lendo o restante do conteúdo.

Produzir um conteúdo confiável e otimizado para SEO requer práticas como o uso de palavras-chave em títulos e parágrafos; a divisão do texto de forma organizada, com subtítulos em uma sequência lógica; o complemento com imagens, gráficos ou vídeos; a utilização de links internos; o uso correto da ortografia e gramática; entre outras.

Você também deve adicionar regularmente novas publicações ao seu site para que os mecanismos de pesquisa vejam que você está ativo online. Além disso, é importante auditar sempre o conteúdo já existente para saber se ele está atingindo seus objetivos. Identifique se as informações contidas nele estão atualizadas.

Com páginas bem organizadas e otimizadas para SEO, você garante que os usuários retornem e tenham o seu site como referência no seu segmento. Além disso, assegura que os robôs interpretem mais facilmente as suas informações, o que contribui muito para alcançar para as primeiras posições nos buscadores, que é a meta de 10 entre 10 criadores de conteúdo, não é mesmo?

Se você precisa de ajuda, existe a possibilidade de contar com a ajuda de uma agência especializada neste tipo de trabalho.

Nós da Experta Media também podemos te ajudar. Entre em contato conosco. Vamos adorar conversar com você!

O que é texto otimizado para SEO e como ele é produzido?

Antes de começar a produzir conteúdo para seu site ou blog, é importante conhecer as técnicas de Search Engine Optimization (SEO). Essa técnica ajuda a melhorar o seu posicionamento nos mecanismos de busca, permitindo que seu público de interesse encontre seu conteúdo com mais facilidade. Antes de começar essa jornada, porém, é preciso se fazer algumas perguntas.

Planejamento de conteúdo

Por que estou publicando este conteúdo? Ele vai me ajudar a obter backlinks? Esse texto vai gerar leads para o meu negócio? Ele será útil para o público e para o meu engajamento social?

Entender definitivamente por que você vai criar e publicar um conteúdo, garante que você não caia na armadilha de produzir algo apenas para ver uma nova postagem no seu blog, uma vez que muitas pessoas acham que quanto mais conteúdo melhor, independente da qualidade.

Criar conteúdos  e com recorrência pode sim te ajudar a ter uma classificação melhor no Google, mas desde que eles sejam bem elaborados. Embora a criação de um texto otimizado não seja uma prática tão difícil, é preciso algumas boas práticas.

Neste artigo, portanto, vamos te orientar usando uma abordagem bastante atual sobre otimização de conteúdos para SEO e apresentar alguns elementos essenciais que você pode seguir. Vamos lá?

Palavras-chave

As palavras-chave (Keywords) devem ser sempre o ponto de partida para escrever um texto. São elas que definem como um usuário recorre aos buscadores do Google, quando deseja encontrar a resposta para uma pesquisa ou dúvida.

Definir uma ou mais palavras-chave é essencial para saber como conduzirá o seu texto. Ok, você tem as keywords selecionadas, mas a partir daí, você precisa estabelecer que tipo de conteúdo vai criar: será algo mais abrangente ou você deseja dialogar com um público mais nichado, respondendo a algum questionamento específico?

Existem ferramentas como a Keyword Planner, do próprio Google, ou o Keyword Explorer (KWE), da Moz, para te ajudar na escolha das palavras-chave que pode utilizar.

Já que estamos falando de palavras-chave, é muito importante esclarecer um mito que ronda esse assunto. Antigamente, acreditava-se que a palavra-chave para a qual você desejava ranquear deveria ser exaustivamente repetida ao longo do texto. Foi criada até um nome para o que costumava ser uma métrica: a densidade de palavras-chave. Porém, como o SEO – e os algoritmos do Google – são bastante dinâmicos, hoje, trabalhar uma palavra-chave muitas vezes no texto em vez de lhe ajudar, atrapalha e muito.

O Google percebeu a artimanha de criadores de conteúdo que visavam manipular o motor de busca por meio das repetições de keywords e passou a punir essa prática, hoje chamada de keyword stuffing.

Segue a definição do próprio Google para o termo:

“Excesso de palavras-chave” refere-se à prática de encher uma página da Web com palavras-chave ou números na tentativa de manipular a classificação do site em um resultado de pesquisa do Google. Com frequência, essas palavras-chave aparecem em uma lista ou grupo, ou fora de contexto (não como texto natural). Encher páginas com palavras-chave ou números resulta em uma experiência negativa para o usuário e pode prejudicar a classificação do site”.

Der acordo com o motor de busca, o foco deve ser sempre criar um conteúdo útil, rico em informações e que utilize palavras-chave apropriadas e dentro do contexto.

Heading Tags

As Heading Tags (tags de cabeçalho, também chamadas de Hs), em um texto, aparecem como intertítulos, porém, são muito relevantes, principalmente dentro da estrutura da sua página na Internet.

Os mecanismos de busca identificam essas tags de cabeçalho como mais importantes que o resto do texto, hierarquicamente. Você começa com o H1 e desce em importância para o H2, H3 e assim por diante. Essas tags ajudarão a afirmar o tema ou o objetivo geral do seu conteúdo.

Porém, você não pode simplesmente inserir o que quiser nos Hs. É importante usar palavras-chave de cauda curta e cauda longa. A medida em que os motores de busca rastreiam seu site, eles capturam as heading tags e reconhecem as palavras-chave que você está usando como importantes.

O H1, portanto, deve conter as palavras-chave específicas, que estão diretamente relacionadas ao título da página. A tag H2 é um subtítulo e deve conter palavras-chave semelhantes à sua tag H1. Já o H3 é um intertítulo do H2 e assim por diante. Trata-se de uma hierarquia baseada na importância.

Se quiser se aprofundar neste assunto, nós já falamos sobre o uso das headings em nosso  Guia de SEO para jornalistas e produtores de conteúdo, confira!

Links externos e externos

Se o seu texto faz referência a uma fonte, especialmente se for uma fonte oficial, não hesite em citá-la. Vincular o seu conteúdo a um site externo ajuda os usuários a terem uma melhor experiência com aquele tema e também permite que os mecanismos de busca entendam melhor a relevância do seu texto com base no conteúdo ao qual você está vinculado.

Lembre-se de referenciar fontes autorizadas e confiáveis. Essencialmente, insira links apenas a assuntos que agreguem valor e facilitem a vida do usuário, para que ele não precise procurar estes recursos saindo da sua página.

É importante também você vincular internamente seu texto a outras páginas importantes do seu site. Os links internos são essenciais para os usuários navegarem pelo seu conteúdo e ajudam a espalhar o valor do link para as páginas principais. De forma simples, se você mencionar um tópico em seu texto sobre o qual tem detalhes em outro, vincule-o, desde que isso faça sentido e agregue valor.

Tamanho do texto

Como regra geral, você precisa garantir que seu conteúdo tenha profundidade suficiente para cobrir adequadamente um tópico. Um texto que possui muitas palavras, por exemplo, tende a abordar um tema de forma completa e assim satisfazer o usuário. Sob o aspecto de SEO, um texto maior tende a explorar mais vezes a palavra-chave, foco do conteúdo.

A dica é abordar nos seus textos os temas da forma mais completa possível. É importante que você publique conteúdo exclusivo e informativo de formato longo, mas há exceções, como por exemplo, notícias e temas urgentes, que provavelmente nunca terão um formato tão longo.

Sempre se esforce para publicar um conteúdo incrível que atenda às intenções do usuário. Evite priorizar quantidade em detrimento da qualidade, ou seja, se o seu texto já está completo e o tamanho dele ficou com menos das mil palavras que você estabeleceu como meta, por exemplo, não faz sentido “enrolar” para que ele fique maior.

Uso de imagens e vídeo

O uso de imagens e vídeos – incluindo infográficos e gráficos – também têm um impacto positivo no consumo do seu conteúdo. Eles facilitam a leitura e agradam os usuários. Sob a perspectiva de SEO, o conteúdo que envolve mais o usuário pode aumentar o tempo de permanência na página e o envolvimento geral com o site.

De fato, não há como negar que o interesse por uma postagem que inclua alguma forma de conteúdo visual é muito maior do que simplesmente uma que não inclua nada além de blocos de texto. Certifique-se de otimizar totalmente as imagens, incorporar vídeos de outras plataformas como YouTube e Vimeo. Enfim, há outras infinitas possibilidades.

Otimização para dispositivos móveis

O aumento no acesso a lojas virtuais, sites e blogs via dispositivos móveis fez com que o Google passasse a valorizar páginas responsivas, ou seja, que estejam adaptadas para serem acessadas via smartphones e tablets.

Então, o seu site deve incluir a otimização para dispositivos móveis, garantindo sua presença on-line através desses dispositivos.

Para otimizar as palavras-chave nos dispositivos móveis, como a tela e o teclado são menores, a tendência é que elas sejam mais curtas. Os usuários também usarão menos sugestões do navegador, então os links internos e externos precisam ser atraentes e indispensáveis.

Sobre o tamanho do conteúdo, um texto de mais de mil caracteres por exemplo, não terá o mesmo desempenho de leitura do computador ou notebook. Analise bem o tamanho dos parágrafos e procure criar subtítulos para organizar seu texto.

Faça destaques ao longo do texto, com respostas específicas, para ajudar o leitor a encontrar mais facilmente o que ele procura.

Gostou das dicas? Se levar em consideração estes passos, você estará pronto para aplicar as práticas recomendadas de SEO em seu texto.

Se você precisa de conteúdos otimizados para sua estratégia de link building ou para o seu blog, entre em contato com a gente. Vamos adorar bater um papo com você!