Category SEO

É importante entender o conceito de link juice e o que significa no SEO, apesar de ser um termo não muito utilizado atualmente. Saiba o motivo neste artigo.

O link juice é um termo antigo no SEO para se referir à transferência de benefícios (autoridade) por meio de links entre diferentes páginas. Você vai encontrar alguns especialistas que afirmam que o termo está obsoleto.  A razão é que o conceito de link juice se popularizou com a criação da métrica de PageRank do Google (que deixou de ser atualizada em 2013).

Pode ser também que, entre tantos termos, você encontre por aí quem chame o link juice de link equity. A verdade é que todo mundo sabe da influência desse recurso no ranqueamento dos sites no Google. Independente de "estar na moda" (ou não), o que queremos é que você compreenda a razão de o conceito existir e possa decidir quando utilizá-lo.

Para isso, preparamos este artigo para você entender os seguintes tópicos:

  • A influência do Google no conceito de link juice
  • Como funciona o link juice e a relação com a distribuição de links
  • Como funciona o link juice dentro da estratégia de link building.
  • Como usar o link juice nos tempos atuais

Mas, para entender melhor o termo, precisamos dar um passo atrás e destrinchar como funcionam os algoritmos dos motores de busca.

Como o Google vê o link juice?

ilustração de uma mão segurando lupa em uma tela de computador com uma página de site aberta e outras ao redor, exemplificando a relação do link building com SEO
fonte: freepik.com

Toda vez que você acessa as páginas do Google e digita algo no campo de busca, os robôs do Google (do Bing e de qualquer outro motor de busca) fazem uma varredura na web atrás de páginas e arquivos que tenham alguma relação com o que você procura.

Tudo isso acontece em poucos segundos. Para transitar entre esses diferentes sites e endereços web, os robôs usam os hiperlinks como uma ponte. Logo, quanto mais links de diferentes fontes direcionados para o seu site, mais facilmente ele será encontrado pelos robôs.

Entretanto, ao passarem de um site para outro por meio de links, os robôs levam junto alguns benefícios do domínio (site) de origem para o domínio visitado. É o que chamamos de transferência de autoridade (benefícios). Nesse contexto, são os links que vão determinar o quanto de autoridade será passado de um site para o outro.

Mas afinal o que é link juice?

O nome vem do inglês e significa, na tradução literal, suco de link. E essa ideia é fundamental para entendermos o conceito do link juice com clareza.

Pense no seu site como uma jarra de suco. Todo o líquido que tem nele representa a autoridade que ele conseguiu no decorrer do tempo. Ele tem bastante conteúdo e outros atributos que o fazem ter um nível de links, mas está em uma seara repleta de outras jarras com o mesmo suco.

representação de link huice com jarra de suco e copos com tampa e canudinho
por Experta Media

Para se destacar, ele precisa distribuir esse conteúdo em pequenos copos para que o mecanismo sedento do Google se sinta seduzido.

representação de link juice (copos)
por Experta Media

Esses copos são os hiperlinks, que contêm uma boa parte do conteúdo (autoridade) da jarra. Quando os robôs veem esses “copos” espalhados pela web (dentro de um contexto que faça sentido, é bom lembrar) entendem que a fonte de onde vêm aquelas informações é boa.

A primeira maneira que o Google criou para medir a autoridade por meio de backlinks foi o PageRank. Embora ainda tenha a sua importância, ele não é mais o único algoritmo que determina a classificação de um site.

Atualmente, o valor de um link é determinado considerando pontos como:

  • Relevância dos links: isso significa saber se o link está contextualizado com a página que vai recebê-lo, se traz informações adicionais à determinada busca feita pelo usuário.
  • Rastreabilidade dos links: páginas bloqueadas para rastreadores por meio do arquivo robot.txt tendem a ser ignoradas e, logo, não transmitem sua autoridade.
  • Posição dos links: o ideal é que estejam no corpo do texto e não em barras laterais ou no rodapé.
  • Quantidade de links por página: embora não haja regra quanto a isso, quanto mais links dentro de uma página, mais diluído será o link juice.
  • Autoridade do site de vinculação: links recebidos de sites pequenos, recentes são menos relevantes do que aqueles vindos de sites com reputação mais solidificada.
  • Tipo de atributo dos links: links nofollow tendem a não ter a mesma relevância que os dofollow, mas falaremos mais sobre esse ponto a seguir.

Como calcular o link juice na distribuição de links

ilustração de uma mulher pensativa trabalhando em seu laptop sob uma escrivaninha
fonte: freepik.com

Conforme começamos a aprender, os hiperlinks (que podem ser internos ou externos) são os copos que fazem a distribuição dos benefícios. Cabe aqui ressaltar que alguns copos podem estar mais cheio do que outros ou até mesmo não conter nenhum link juice.

Os links internos são aqueles que fazem referências a conteúdos complementares dentro do seu próprio site. Como esse que usamos aí em cima para falar de link building. Já os externos são os que vão linkar para outros sites, levando parte da autoridade para eles.

É nesse ponto que entra a distribuição do link juice. De forma geral:

  • Quanto maior a quantidade de links em uma página, mais diluído o link juice será.
  • Link UGC e Sponsor não passam link juice e os links nofollow agora são vistos como uma sugestão para passar link juice (até 2019 o Google afirmava que não passava).
  • Quanto mais no início da página um link estiver, mas link juice irá passar. (Segundo alguns especialistas essa afirmação não pode ser levada ao pé da letra. Aqui na Experta Media, acreditamos que vale muito mais o contexto do link do que a posição).

Por que e quando linkar para outros sites?

ilustração de laptop conectando a 3 páginas suspensas
fonte: freepik.com

Mas enviar links para outros sites não é dar tiro no pé? Transferir a audiência para outro lugar?

Precisamos ter em mente que os hiperlinks são serviços que prestamos ao usuário. E é exatamente isso que o Google espera dos produtores de conteúdo.

Se você está usando um link externo que faz muito sentido dentro daquele conteúdo e vai agregar valor à experiência do usuário, o buscador recompensa isso.

Agora o bom mesmo é quando o inverso acontece, isto é, quando um site aponta para o seu. Os sonhados backlinks são a cereja do bolo da autoridade SEO.

Não adianta ter todo o SEO on-page rodando direitinho se não houver links apontando para o seu site.

É que Google entende cada backlink como um voto de confiança ao seu site (passando link juice). Sendo assim, é importante traçar uma estratégia bastante sólida para atrair backlinks de qualidade.

Isso porque a autoridade na internet está muito ligada à confiança que as pessoas têm na sua marca – pessoal ou empresarial. E quer voto de confiança maior do que levar a própria audiência para outra página?

Mas atenção: assim como tudo no marketing digital, é preciso estratégia.

Por quê?

Explicamos a seguir.

Direcionando links para o lugar certo

ilustração de pessoas representando nicho de site
fonte: freepik.com

Esse é um dos pontos mais importantes do link juice: saber para onde direcionar os links – sejam eles internos ou externos.

Não adianta colocar links que não tenham relação com o conteúdo porque o Google já consegue perceber isso e, obviamente, o público também.

Portanto, o excesso de links para páginas institucionais (que eram muito comuns) não são mais indicados. Isso podia fazer algum sentido quando a produção de conteúdo para a web começou, mas o uso indiscriminado do recurso o fez cair por terra. O Google percebeu a malandragem e mudou as regras do jogo (foco no usuário, lembra?).

Agora o contexto do conteúdo - e não só a arquitetura do site e hierarquia de links - passou a ser considerado para o ranqueamento da página. Reserve o rel=dofollow para os conteúdos relevantes que realmente respondam às dores dos usuários.

Isso porque são eles que mostram ao Google a relação genuína de confiança e respeito que existe entre o seu site e aquele que está distribuindo o seu link.

Os links dofollow são aqueles votos de confiança sobre os quais falamos acima.

Já os nofollow, o sponsor e o UGC são aqueles em que o site que recebe o link opta por mudar o código html de forma a fazer o Google entender que não é para passar a autoridade do site que enviou o link.

Saiba mais sobre estes atributos de links

Só que mais uma vez, o uso excessivo do recurso fez o Google rever as regras. E, desde março, ele entende o nofollow como uma sugestão para seguir.

Dessa forma, ganhar um nofollow não é de todo ruim, pois, aumenta o alcance da marca, gerando mais tráfego além de facilitar a negociação da publicação do seu conteúdo em sites de terceiros.

Entenda melhor sobre marcar os links como nofollow.

Conclusão

A transmissão de autoridade entre sites é uma importante ferramenta para se obter destaque nas SERPs (Search Engine Results Pages) do Google.

Porém, ocupar as primeiras colocações nos motores de busca não é uma tarefa fácil. É preciso encontrar o equilíbrio perfeito entre os fatores on- page e off- page para garantir o sucesso da empreitada.

Esse post foi útil para você? Deixe um comentário ou compartilhe nas suas redes sociais.