4 tendências de SEO para melhorar seu ranqueamento no Google

O que os algoritmos dos mecanismos de pesquisa consideravam favorável ontem pode não ser vantajoso para o seu conteúdo digital hoje. Confira algumas das últimas tendências de SEO.

Publicado em: 31 de outubro de 2023
Atualizado em: 21 de junho de 2024

Todo empresário deseja que seus sites sejam ranqueados, pura e simplesmente. 

Mas, embora sua meta final seja chegar ao topo da página de resultados dos mecanismos de busca, você precisa de uma estratégia. E seu plano de jogo deve ser flexível o suficiente para se adaptar às últimas tendências de SEO.

O que os algoritmos do Google consideravam favorável ontem pode não ser vantajoso para o seu conteúdo digital hoje. Por isso, ficar por dentro das tendências de SEO e flexibilizar sua abordagem são medidas essenciais a serem tomadas.

Confira a seguir as 4 últimas tendências de SEO que você deve considerar se quiser melhorar seu ranqueamento no Google.

1. Produção de conteúdo útil para o público

A classificação nos mecanismos de busca geralmente é vista como um jogo de números. 

Quanto mais peças de conteúdo enriquecido com palavras-chave você criar, maiores serão as suas chances de se classificar para algo, certo? 

Mas não é bem assim. 

Mais do que nunca, o Google está considerando a qualidade do conteúdo que você publica: Os leitores consideram as informações úteis? O conteúdo corresponde à intenção de pesquisa deles? 

Além de ser satisfatório e relevante, o artigo deve demonstrar um conhecimento profundo do assunto. E seu conteúdo deve ter um elemento humano para humano. Crie conteúdo para as pessoas do seu público-alvo em vez de criar para um mecanismo de pesquisa.

“Mas a classificação não se trata de acomodar os caprichos dos algoritmos dos mecanismos de pesquisa?”

De certa forma, sim. No entanto, esses algoritmos também estão se tornando mais "humanizados"

Dentre as tendências de SEO, você pode usar táticas estratégicas como conteúdos pilares e topic clusters para criar informações digeríveis que seres humanos considerem satisfatórias e úteis.

Com essa estratégia, você está criando uma combinação de peças longas e curtas que satisfazem a intenção do público. 

O conteúdo de formato mais curto, como landing pages, responde a uma série de perguntas específicas que as pessoas estão fazendo sobre um tópico. Já as páginas de formato mais longo, como blog posts, se aprofundam no assunto, fornecendo uma visão geral sólida de tudo o que elas querem saber. 

Uma estratégia de conteúdo pilar é uma ótima forma de satisfazer a atualização Google’s Helpful Content e, ao mesmo tempo, mostrar seu conhecimento no assunto.

Confira aqui tudo sobre a atualização do Google que prioriza as pessoas.

2. A experiência do autor também é importante

Você provavelmente já ouviu falar do EAT do Google se estiver acompanhando todos os acrônimos dos mecanismos de pesquisa. Ele significa Especialidade, Autoridade e Confiança

Ao classificar seu conteúdo, o mecanismo de pesquisa considera se o artigo possui todos esses fatores. O Google quer saber se o público pode confiar em você porque você tem conhecimento e credibilidade sobre o assunto.

No entanto, obter conhecimento sobre um tópico por meio de pesquisa não é o mesmo que adquiri-lo por meio de experiência direta. 

Uma das últimas tendências de SEO é um acréscimo à fórmula, criando o EEAT do Google. Não se trata mais apenas de conhecimento especializado, autoridade e confiança. Você precisa adicionar outro "E" para Experiência.

Sim, o Google quer ver que os criadores de conteúdo têm experiência prática com as informações que estão discutindo

Por exemplo, um blog sobre dicas de cuidados com o gramado terá mais chances de classificação se for escrito por um paisagista. Mas, se um morador novato de um apartamento ou condomínio criar o mesmo blog, ele poderá não ter uma classificação tão alta. 

Ao escolher tópicos, vá além das palavras-chave e considere se os criadores de conteúdo têm insights do mundo real para acrescentar.

3. Tudo gira em torno da experiência do usuário

De certa forma, todas as novas tendências de SEO acabam girando em torno da experiência do usuário.

O algoritmo do Google está cada vez mais focado no que os usuários veem quando visitam o seu site. Eles chegam a uma página limpa, de carregamento rápido e fácil de navegar? Ou eles parecem se sentir frustrados e saem logo em seguida?

Uma experiência de usuário pouco atraente pode prejudicar suas chances de classificação se as pessoas abandonarem seu site com frequência. 

O Google define uma rejeição como uma sessão de página única. Isso significa que alguém chegou a uma de suas páginas, mas não visitou nenhuma outra página do seu site. 

Calma! Essa interação, por si só, não é necessariamente um motivo de preocupação. Por exemplo, uma pessoa pode ter lido um blog post, e isso é tudo o que ela precisava fazer.

Mas é preciso se preocupar se uma alta porcentagem de pessoas visitar uma página e sair quase imediatamente. Alguns dos principais motivos para esse problema são: 

  • Erros técnicos no site;
  • Carregamento muito lento;
  • Design antigo e nada atrativo;
  • Layouts confusos que não são intuitivos;
  • Pop-ups que tomam conta da tela; 
  • Falta de adaptação do site para a versão mobile.

Parte de sua estratégia de SEO deve considerar como seu público-alvo experimentará seu conteúdo digital. Se algo não for intuitivo ou não fluir bem, mude-o.

4. IA pode ajudar, mas não assumir o controle

Em um artigo sobre tendências de SEO, não poderíamos deixar de mencionar as inteligências artificiais.

Muitas agências de marketing digital já utilizam a IA para produzir blog posts, landing pages e outros tipos de conteúdo digital. Por que não deixá-la assumir o lugar da sua equipe para que você possa produzir mais conteúdo com mais rapidez? 

Primeiramente, o conteúdo escrito por IA tende a ficar bem superficial. Ele não oferece o conhecimento profundo que os mecanismos de pesquisa e o público procuram.

O conteúdo gerado por IA também pode conter erros de sintaxe e de fatos, caso a ferramenta esteja desatualizada. Pode faltar originalidade, voz e estilo da marca

Embora as ferramentas de IA possam reduzir o tempo que os redatores levam para fazer brainstorming e esboços, elas não substituem o pensamento humano. Confiar apenas na tecnologia para produzir seu conteúdo pode prejudicar seu ranqueamento, pois seus leitores não apreciarão informações genéricas.

A posição do Google em relação ao conteúdo escrito por IA é que ele não é totalmente contra. Porém, o mecanismo de busca recomenda que os humanos analisem o conteúdo antes de publicá-lo. O Google também afirma que o conteúdo natural e que soa humano terá uma classificação mais alta. 

Portanto, embora o uso de IA em seu processo de criação de conteúdo não seja absolutamente proibido, não elimina o elemento de pessoa real.

Se adapte às últimas tendências de SEO     

Você não quer que seu conteúdo digital seja invisível. 

O objetivo por trás do trabalho de um profissional de SEO é aumentar a visibilidade da sua empresa para que você possa atrair e converter leads

Sua estratégia de SEO o leva a esse objetivo, ajudando seu conteúdo a chegar ao topo das SERPs (páginas de resultados). 

Para garantir que sua abordagem produza os resultados desejados, não deixe de alinhar suas táticas com as últimas tendências de SEO.

CONFIRA TAMBÉM