Canibalização de palavra-chave: o que é, como acontece e como resolver?

Entenda como funciona a canibalização de palavra-chave e qual é a melhor forma de evitar que isso aconteça com seu site.

Última atualização:

20 de maio de 2024

Anny Fernandes
Últimos posts por Anny Fernandes (exibir todos)
Índice

    A canibalização de palavras-chave pode ser o motivo pelo qual sua estratégia de link building não tem alcançado os resultados esperados. Se o conceito parece confuso, não se preocupe, vamos esclarecer tudo! 

    Imagine o trabalho de SEO e marketing de conteúdo como um jogo de xadrez: os conteúdos são as peças, com estratégias e movimentos próprios, e cada jogada é feita em busca da vitória no ranking do Google.

    Se você jogar bem com as peças que tem, consegue chegar ao topo de forma orgânica. Mas, o que acontece se suas próprias peças começam a disputar entre si? É aí que entra o conceito de canibalização. 

    Quer saber mais? Continue a leitura! Neste post, explicaremos o que é a canibalização de palavra-chave, os problemas que ela provoca, como identificar e solucionar essa situação. 

    O que é canibalização de palavras-chave?

    O conceito de canibalização de palavra-chave, talvez, seja um dos mais difíceis quando falamos sobre as técnicas de SEO. Alguns especialistas não chegam nem a considerar a problemática, mas aqui na Experta, estamos sempre atentos para evitar esta situação. 

    A verdade é que a canibalização de palavras-chave pode, sim, ser um problema para muitos sites e afetar negativamente o posicionamento nos motores de busca, como o Google e o Bing.

    Ao contrário do que muitos pensam, a canibalização não ocorre apenas quando há várias páginas otimizadas para uma mesma keyword. Não é uma questão de uma página “roubar” o sucesso da outra. Na realidade, é possível que duas ou mais páginas ranqueiem pela mesma palavra-chave, sem problemas. 

    O que realmente importa é a intenção. Ou seja, se duas páginas do seu site são linkadas a uma mesma palavra-chave e oferecem conteúdo semelhante ou relacionado, elas podem competir entre si nos resultados de pesquisa.

    causas da canibalização de palavra-chave ahrefs
    Reprodução/Ahrefs

    Para facilitar a compreensão, vamos a um exemplo: 

    print pesquisa smartphone samsung

    Observe os resultados da SERP para a palavra-chave smartphone samsung: o site da marca aparece com duas páginas nas primeiras posições orgânicas.

    Se você estivesse fazendo uma prova sobre SEO e precisasse responder, qual seria sua resposta? 

    1. No exemplo ocorre a canibalização da palavra-chave.
    2. No exemplo não ocorre a canibalização da palavra-chave.
    3. A canibalização depende da intenção das páginas. 

    Se você pensou na alternativa número 1, saiba que esta não é a opção correta. Agora, se respondeu alternativa 3, parabéns, acertou! 

    Para explicar o motivo da opção 3 ser a resposta correta, precisamos analisar as duas páginas da Samsung que aparecem nos resultados do Google.

    O primeiro resultado traz um conteúdo dedicado à linha Galaxy. Na página, é possível encontrar os mais novos modelos e detalhes sobre funcionalidades. A intenção da página é clara: atingir o usuário que está no meio do funil de vendas (pesquisando o produto) da jornada de compra do consumidor.

    print samsung galaxy
    Reprodução/Samsung

    Por outro lado, ao clicar no segundo resultado, somos direcionados para o e-commerce da marca. A página mostra os modelos mais populares e apresenta elementos como o botão “comprar agora” e os filtros para facilitar a pesquisa do usuário. 

    print samsung modelos
    Reprodução/Samsung

    Sua intencionalidade, portanto, é proporcionar uma experiência de compra conveniente e direta para os usuários que estão interessados em adquirir um smartphone da marca (fundo do funil). 

    Dessa forma, se ambas as páginas estão otimizadas para a mesma palavra-chave, mas têm intenções diferentes e oferecem conteúdo complementar, não há canibalização.

    No entanto, quando duas páginas apresentam conteúdos semelhantes, com pouca diferenciação em termos de intenção ou informação, podemos afirmar que ocorre a canibalização da palavra-chave. 

    Agora, vamos a um exemplo fictício de canibalização. Vamos imaginar que há três páginas ranqueando para a KW lançamento smartphone. Todas estão abaixo da décima posição na SERP. 

    Ao conferir as URLs, constatamos: 

    • Primeira página: /blog/novidades-smartphone-galaxy
    • Segunda página: /blog/lancamento-smartphone-samsung
    • Terceira página: /blog/smartphones/lancamento

    Como podemos observar, todas as páginas são relacionadas a novos lançamentos da marca e estão situadas dentro de um blog. 

    Nesse exemplo fictício, é quase certo que estamos diante de um caso de canibalização. Isso porque todas as páginas servem à mesma intenção de busca e competem entre si nos resultados dos motores de busca.

    Problemas que a canibalização provoca

    Agora que você compreendeu o que é a canibalização de keywords, vamos nos aprofundar nos problemas que a situação pode causar. 

    As URLs mudam de posição na SERP 

    Se uma mesma URL muda constantemente de posição na SERP, é provável que o seu conteúdo esteja sofrendo com a canibalização de palavra-chave. Isso acontece porque o Google não entende qual é a página que deve ser ranqueada. 

    O Google valoriza a consistência e a confiabilidade das páginas em seus resultados de pesquisa. Por isso, essa situação é extremamente negativa, pois pode confundir tanto os mecanismos de busca, quanto os usuários. 

    Imagina procurar por uma informação em um dia e depois querer revisitar aquela página e não encontrá-la entre os primeiros resultados? Isso pode gerar um incômodo e atrapalhar a experiência do usuário

    A posição do site não sobe nunca

    Você está fazendo tudo certo, mas a posição do site não sobe nunca. Ganhou bons backlinks e fez um conteúdo de qualidade, mas nada. Parece até que o Google não vai com a sua cara… 

    Um dos motivos para a dificuldade em subir a posição do seu site pode ser a canibalização de palavra-chave. Se várias páginas competem entre si, a autoridade do site é diluída. 

    Ou seja, em vez de concentrar toda a autoridade em uma única página, ela é dividida entre várias, o que pode dificultar o avanço no ranking. Isso pode resultar em uma classificação estagnada, onde nenhuma URL alcança uma posição significativa nos resultados de pesquisa. 

    A URL errada ranqueia

    Outro problema comum causado pela canibalização de palavras-chave é quando uma URL inadequada acaba sendo ranqueada para uma consulta específica. Como diferentes páginas estão competindo para ranquear com uma mesma KW, o Google pode interpretar de forma errada qual é a prioridade. 

    Imagine que você está procurando informações sobre o último lançamento da Samsung. Ao invés de encontrar uma página que mostre qual é o modelo e suas especificações, você é direcionado para a página de e-commerce com todos os modelos disponíveis. 

    Quando isso ocorre, é provável que a canibalização de palavras-chave esteja acontecendo. O que pode ser frustrante e muito prejudicial para a autoridade do site. 

    Como saber se está canibalizando?

    Você percebeu que esses problemas estão acontecendo. E, agora, como saber se realmente há canibalização de palavras-chave? Basta seguir alguns passos para descobrir. 

    Faça auditoria de conteúdo

    O primeiro passo é fazer uma auditoria de conteúdo. Dependendo do tamanho do site, resolver a canibalização pode ser fácil e rápido. Na auditoria, é necessário analisar todas as páginas que estão competindo para ranquear para as mesmas palavras-chave.

    Nesse caso, você pode optar por fazer sua própria auditoria ou contratar um especialista em SEO que poderá ajudar com uma análise mais criteriosa e aprofundada.

    A Experta é uma agência especializada em SEO que pode te ajudar nesta tarefa! Entre em contato para saber mais sobre nosso serviço de auditoria. 

    Olhe para rankings históricos no Ahrefs

    Outra forma de saber se ocorre canibalização é por meio do  Ahrefs, ferramenta de SEO que possibilita a análise de métricas, links e domínio. Veja, a seguir, o passo a passo para utilizá-la:

    1. Faça login na sua conta Ahrefs
    2. Digite a URL do seu site na seção Site Explorer
    3. Clique no relatório de palavras-chave da pesquisa orgânica
    4. Filtre pela palavra-chave que deseja avaliar
    5. Clique no Histórico de Posições para saber mais (ao lado do botão SERP)

    Depois de seguir esse passo a passo, você vai conseguir identificar se está acontecendo a canibalização de palavras-chave através da visualização de como as posições das páginas mudaram ao longo do tempo ou se o Google está classificando múltiplas URLs na mesma keyword. 

    DICA EXPERTA: Use este método apenas para uma verificação rápida. A classificação nem sempre é precisa, uma vez que o Google geralmente evita classificar várias páginas do mesmo host

    No exemplo abaixo, é possível ver a canibalização do termo “assessoria de imprensa o que é”:

    exemplo de canibalização de palavra-chave
    Reprodução/Ahrefs

    Podemos observar que, desde 2021, 6 páginas já se posicionaram para o mesmo termo, competindo entre si. Atualmente, são 2 páginas competindo pelo ranqueamento. No gráfico, é notável a grande oscilação nas posições dessas páginas.

    Use o Semrush

    Nos planos Guru ou Business do Semrush, você tem acesso a uma ferramenta de monitoramento específica para verificação de canibalização. Com ela, é possível monitorar suas páginas ou a palavra-chave em si. 

    O ideal é buscar primeiro pela palavra-chave e, a partir daí, analisar onde as URLs estão ranqueadas e em que posições elas aparecem. Dessa forma, é possível priorizar oportunidades com base em critérios como volume de pesquisa, tráfego estimado e posição atual no ranking.

    Aplique o Google Search Console

    O Google Search Console é uma ferramenta que garante acesso a muitas informações sobre o seu site. Ao aplicá-lá, você consegue encontrar e solucionar problemas relacionados à canibalização de palavras-chave. 

    Para isso, siga o passo a passo:

    1. Acesse o Google Search Console
    2. Selecione o site
    3. Vá até a seção de Desempenho 
    4. Clique nos Resultados de Pesquisa
    5. Nas Consultas, clique na KW que deseja analisar
    6. Veja a lista de URLs ranqueadas na aba Páginas
    7. Avalie a taxa de cliques e impressões

    A seção Páginas fornece uma lista de URLs para cada consulta e suas estatísticas correspondentes. Se você observar que várias URLs estão associadas à mesma consulta, provavelmente, a canibalização de palavras-chave está acontecendo. 

    No exemplo abaixo, nós verificamos a possibilidade de canibalização da palavra-chave “comprar backlinks”.

    exemplo de possível canibalização de palavra-chave
    Reprodução/Google Search Console

    Apesar de haver 4 URLs para a mesma KW, a maior parte dos cliques e impressões se concentram apenas na primeira página. Desse modo, não há canibalização, entretanto, ainda há um risco de canibalizar no futuro.

    Verifique links com o Screaming Frog

    O Screaming Frog é uma excelente ferramenta para quem não consegue investir em outras opções pagas, pois permite verificar até 500 links na versão gratuita. 

    Com a análise, você consegue detectar elementos repetitivos (títulos H1 e H2, tags alt, metadescription). Assim, fica fácil identificar as páginas cujos conteúdos estão canibalizando.

    Como resolver a canibalização de palavra-chave

    Para resolver o problema de canibalização, algumas estratégias podem ser implementadas. A seguir, vamos explicar algumas delas de forma mais detalhada. Continue lendo!

    Ajuste a comunicação com o usuário

    O primeiro passo para resolver a canibalização da palavra-chave é ajustar a comunicação com o usuário. Isso envolve algumas recomendações:

    • Diversificação de conteúdo: é importante se certificar que o conteúdo seja diversificado e complementar. Por exemplo, enquanto uma página introduz o assunto, outra se aprofunda em análises sobre o mesmo assunto. 
    • Enriquecimento de conteúdo: aplique o LSI (Latent Semantic Indexing) para enriquecer o conteúdo com termos e conceitos relacionados que derivam da KW original. 
    • Aumente a CTR: para aumentar o Click-Through-Rate, ofereça conteúdo útil e exclusivo que se relacione com os títulos e metadescriptions. 

    Utilize long tail

    O uso de long tail, ou palavras-chave de cauda longa, pode ajudar a resolver a canibalização, direcionando tráfego para páginas específicas. 

    Voltando ao nosso exemplo da Samsung, quando percebemos o problema relacionado a KW lançamento smartphone, uma solução seria alterar para a KW de cauda longa lançamento do novo smartphone Samsung Galaxy S22.

    Ao usar uma palavra-chave mais específica e páginas dedicadas exclusivamente a esse lançamento, conseguiríamos evitar uma possível canibalização.

    Aplique os 3Rs do SEO nos conteúdos

    Outra boa estratégia para resolver a canibalização é a aplicação dos 3Rs do SEO nos conteúdos: Remover, Readequar, Reaproveitar.

    Após identificar quais páginas estão competindo entre si, você pode:

    • Remover aquelas que sejam redundantes ou tenham baixo desempenho;
    • Readequar aquelas que têm conteúdo semelhante, mas são importantes; 
    • Reaproveitar aqueles conteúdos que podem ser combinados em um único artigo. 

    Reestruture links internos

    A reestruturação de links internos envolve ajustar a maneira como os links são direcionados dentro do site para garantir que a autoridade e a relevância sejam distribuídas da melhor forma. 

    Imagine que você tem duas páginas competindo pela mesma palavra-chave: melhores smartphones. Uma delas é a página de categoria que lista vários aparelhos, enquanto a outra é um artigo detalhado sobre os melhores smartphones do ano.

    Nesse caso, você pode investir em:

    • Links da página de categoria para o artigo detalhado;
    • Link do artigo detalhado de volta para a página de categoria. 

    Faça redirecionamentos 301

    Redirecionamentos 301 são usados para direcionar permanentemente o tráfego de uma URL antiga ou menos relevante para uma URL nova e mais relevante. 

    Usar esta estratégia possibilita a consolidação do conteúdo canibalizado, conectando páginas menos relevantes a uma versão mais confiável.

    Mas, fique atento! É importante ressaltar que a estratégia é mais apropriada para páginas com conteúdo similar e que compartilham palavras-chave específicas.

    Como evitar a canibalização? 

    Melhor do que resolver a canibalização é conseguir evitá-la. Afinal, resolver uma grande quantidade de links canibalizados exige tempo e energia. 

    Para evitar esse processo, é preciso estar atento a alguns pontos que desdobraremos a seguir: 

    Escolha suas palavras-chave com cuidado

    Antes de criar vários conteúdos, escolha suas palavras-chave com cuidado. Lembre-se que não adianta tentar ranquear as mesmas keywords em todas as suas páginas! 

    O primeiro passo é revisar as palavras que já estão em uso no site. Veja quais delas são mais relevantes para suas páginas e quais podem estar competindo entre si. Depois, organize uma lista com todos os termos relacionados ao seu nicho. 

    Atribua uma KW específica a cada página do seu site. Esta organização ajuda a escolher palavras-chave únicas para cada página e evitar problemas de canibalização. 

    DICA EXPERTA: Para manter a organização sempre em dia e disponível para todos que gerenciam o site, use uma tabela no Excel. Nela, liste todas as palavras-chave junto com as URLs das páginas correspondentes. Isso vai ajudar a diminuir o risco de duplicação. 

    Realize auditorias regulares de SEO 

    Já comentamos anteriormente como as auditorias de SEO são indicadas em casos de canibalização de palavras-chave. Elas também são indispensáveis para evitar o problema. 

    Invista em auditorias preventivas que ajudem a desenvolver um plano de ação para resolver quaisquer problemas antes que afetem negativamente o seu posicionamento nos resultados de busca.

    Leve em conta a intenção de busca

    É importante que você sempre tenha em mente que a criação de conteúdo precisa estar alinhada com as necessidades do público-alvo. Toda vez que alguém faz uma pesquisa na internet há uma intenção, que pode ser:

    • Pesquisa de Informação: o usuário está buscando aprender mais sobre um assunto, procurando informações ou respostas para suas perguntas. Por exemplo, alguém pode pesquisar "como funciona a fotossíntese" para obter informações sobre o processo.
    • Pesquisa de Tomada de Decisão: o usuário está buscando informações mais específicas para ajudá-lo a tomar uma decisão. Isso pode incluir comparar diferentes opções, avaliar prós e contras, ler avaliações de produtos ou serviços, ou buscar recomendações. Por exemplo, alguém pode pesquisar "melhores smartphones de 2024" antes de decidir qual comprar.
    • Pesquisa Transacional: o usuário já tem a intenção de realizar uma transação comercial, seja a compra de um produto, a reserva de um serviço, a inscrição em um curso, entre outros. Por exemplo, alguém pode pesquisar "comprar ingressos para o cinema" com a intenção de realizar uma compra on-line.
    • Pesquisa de Navegação: o usuário está procurando por um site ou recurso específico e, ao invés de digitar diretamente a URL, ele pesquisa no Google ou Bing. Isso pode acontecer quando alguém procura por uma marca específica, um site de notícias, uma plataforma de mídia social, etc. Por exemplo, alguém pode pesquisar "Facebook" para acessar a rede social.

    Por isso, é essencial que você tenha conteúdos que atendam a todas as necessidades para cada um dos temas que deseja abordar. O ideal é conseguir captar leitores em todas essas fases de busca. 

    Para saber como criar conteúdo para cada tipo de intenção de busca, saiba mais sobre o Funil de Vendas e suas aplicações no marketing de conteúdo.

    Certifique-se de que todo conteúdo é exclusivo 

    Se tem uma coisa que o Google valoriza é a criação de conteúdo exclusivo. Por isso, na Experta, temos uma equipe de jornalistas especializados em SEO para produzir conteúdo relevante e valioso. 

    Criar conteúdo exclusivo adiciona valor ao site, mas é importante estar atento também a relevância dos seus artigos.

    Para ter certeza que o tema e a condução do texto estejam alinhados à necessidade do público-alvo, você pode utilizar ferramentas de otimização de SEO. Elas fornecem acesso a uma lista de termos relacionados a uma palavra-chave, o que pode enriquecer o seu conteúdo.

    O que NÃO fazer quando há canibalização

    Ao longo desse conteúdo, você conseguiu perceber que a canibalização é um problema que nem sempre é fácil de ser identificado e solucionado. 

    Mas, há algumas ações que você deve EVITAR a qualquer custo, caso a canibalização ocorra.

    o que não fazer quando há canibalização de palavra-chave
    Em caso de canibalização de palavra-chave, não recomendamos: apagar ou canonizar a página, nem remover os links internos da KW em questão.

    Apagar a página

    Apagar uma das páginas que está sofrendo canibalização não é uma boa solução. Você até pode fazer isso, mas apenas se a página não tiver nenhum valor para o site, ou seja, se não estiver contribuindo positivamente para os objetivos do negócio ou estiver prejudicando a experiência do usuário. 

    No entanto, apagar uma página porque está sofrendo canibalização pode não ser a melhor decisão. Em vez disso, considere outras estratégias, como as mencionadas anteriormente. 

    Canonizar a página

    Canonizar a página significa redirecionar o tráfego de uma página canibalizada para outra página relevante, que você deseja posicionar nos mecanismos de busca. Esta é uma solução possível apenas quando estamos lidando com várias páginas que são duplicadas, próximas ou idênticas.

    No entanto, é importante ressaltar que a canonização não é a melhor solução para resolver a canibalização de palavras-chave.

    Remover links internos com a palavra-chave que está canibalizando

    Talvez, você tenha se perguntado: “para resolver a canibalização não é só remover os links?”. 

    Num primeiro momento, a alternativa pode parecer a mais viável, porém as coisas não funcionam dessa maneira. 

    Se no exemplo fictício que demos, optássemos por remover todos os links internos com a palavra-chave lançamento smartphone, poderíamos afetar as classificações da página para outras keywords também. 

    Além disso, as mudanças bruscas na estrutura de links internos podem confundir os algoritmos de busca, que usam esses sinais para entender a relevância e a hierarquia do conteúdo de um site. Isso pode levar à desindexação temporária ou queda nas classificações de várias páginas do seu site.

    Conheça a Experta!

    Solucionar um problema de canibalização pode parecer uma tarefa complicada para quem não está acostumado com as técnicas de SEO. Para evitar essa dor de cabeça, contrate uma agência especializada em link building!

    A Experta está no mercado de SEO há anos e atende clientes por todo o Brasil com seus serviços de destaque, ranqueamento e conversão. 

    Somos uma equipe múltipla, com uma missão: transformar as estruturas sociais por meio do empreendedorismo e da tecnologia para reescrever nossos futuros.

    Venha conhecer a Experta e nunca mais tenha problemas de canibalização!

    CONFIRA TAMBÉM